Pular para o conteúdo principal

Experimento reproduz condições do núcleo dos planetas


As ondas de compressão são geradas por lasers ultrapotentes. [Imagem: E. Kowaluk/LLE]

Fusão sob pressão

A princípio não parece nada muito "cósmico": experimentos de compressão com ondas de choque geradas por raios laser sobre uma amostra de estishovita, uma forma extremamente densa de silício, geraram dados inéditos sobre a termodinâmica e a condutividade elétrica de minerais em condições extremas.

Contudo, esses dados revelam as propriedades das rochas no interior de grandes exoplanetas e planetas gigantes.

Os experimentos de compressão reproduziram condições encontradas no núcleo de super-Terras e outros planetas gigantes e, provavelmente, as condições durante o violento nascimento de planetas semelhantes à Terra.

Com isto, os cientistas passam a ter dados experimentais sobre as propriedades dos materiais - elementos químicos e compostos minerais - que determinam os processos de formação e evolução desses planetas.

"No interior dos planetas, densidades, pressões e temperaturas extremas modificam fortemente as propriedades dos materiais constituintes," explica Marius Millot, que realizou os experimentos em conjunto com seus colegas dos Laboratórios Berkeley (EUA) e da Universidade Bayreuth (Alemanha).

"Quanto calor os sólidos conseguem sustentar sob pressão antes de derreter é a chave para determinar a estrutura e a evolução interna de um planeta, e agora podemos medi-lo diretamente no laboratório," prossegue ele.

Oceanos de rocha derretida

Os experimentos foram feitos com silício porque este é o segundo elemento mais abundante na Terra - só perdendo para o oxigênio -, sendo um constituinte importante da maioria das rochas e um componente largamente encontrado no espaço, inclusive nos meteoritos.


Outros experimentos de compressão realizados com bigornas de diamante comprovaram que a temperatura do centro da Terra é 1.000 graus mais quente do que se supunha. [Imagem: ESRF/Denis Andrault]

Millot e seus colegas mediram a temperatura de fusão da forma superdensa de silício a 500 GPA (5 milhões de atmosferas), uma pressão comparável à pressão no interior de uma super-Terra (5 massas da Terra) ou dos nossos vizinhos Urano e Netuno. Esta é também a pressão gerada durante os impactos que caracterizam as fases finais de formação planetária.

Em combinação com medições anteriores de outros óxidos e do ferro, os dados indicam que os silicatos do manto e os metais dos núcleos planetários têm temperaturas de fusão comparáveis na faixa de 300 a 500 GPa e acima, sugerindo que os grandes planetas rochosos podem possuir "oceanos" de rocha derretida - magma - em grandes profundidades.

Essa camada líquida de rocha é compatível com a geração dos campos magnéticos planetários e com sua contínua inversão, e há algum tempo as teorias têm apontado esses oceanos de magma como a fonte desses campos magnéticos. Embora não haja meios de checar diretamente se eles estão mesmo lá, experimentos comprovaram a possibilidade desses "geodínamos" produzindo magnetismo com um fluxo de sódio fundido.

"Além disso, nossa pesquisa sugere que a sílica é provavelmente sólida no núcleo de Netuno, Urano, Saturno e Júpiter, o que estabelece novas restrições para os futuros modelos de formação e evolução desses planetas," concluiu Millot.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…