Pular para o conteúdo principal

Humanos que forem a Marte nunca mais voltarão à Terra, diz criador da Mars One



De todas as palestras da Campus Party Brasil 2015, a última, realizada na tarde do último sábado (7), certamente foi a que apresentou o projeto mais ambicioso da oitava edição do evento paulista. No palco esteve o holandês Bas Lansdorp, criador da Mars One, uma iniciativa que tem como objetivo levar pessoas a Marte e instalar a primeira colônia de seres humanos em outro planeta do sistema solar.
Por mais que o conceito pareça coisa vista apenas em filmes de ficção científica, o projeto é sério e já possui todo um cronograma pela frente. Empresário e mestre em engenharia mecânica pela Universidade de Twente, na Holanda, Lansdorp explicou aos campuseiros que a primeira fase acontecerá em 2018, quando será feita uma missão exploratória em Marte. Em 2020 começa a segunda fase, quando um veículo espacial não-tripulado será enviado ao planeta para estudar suas condições, o ambiente e outros elementos do local, como a composição do solo, clima, presença de água, entre outras coisas.
Dois anos depois, o projeto entrará em um estágio fundamental que irá preparar a chegada dos humanos ao planeta vermelho. Isso porque serão enviados robôs com diversos equipamentos que irão garantir a sobrevivência dos colonizadores, como painéis solares, máquinas para tornar a atmosfera respirável, estufas e uma estrutura que irá permitir o cultivo de alimentos. Só depois que tudo estiver pronto é que os primeiros humanos serão enviados ao planeta, viagem esta agendada para o ano de 2024. A expectativa é que os usuários pisem em Marte apenas no ano seguinte, uma vez que o tempo daqui da Terra até Marte é de aproximadamente 7 meses.
Segundo o criador da Mars One, após a primeira equipe desembarcar, um outro time será enviado ao planeta a cada dois anos - cada equipe sempre será composta por quatro pessoas, sendo dois homens e duas mulheres. O custo total de operação para tocar o projeto está avaliado em US$ 6 bilhões (cerca de R$ 15 bilhões).
"Desde a criação de Mars One conseguimos contar com o apoio de cientistas, engenheiros, homens e mulheres de negócios do mundo todo. Ver o desenvolvimento do projeto é saber que meu sonho tem se tornado realidade", comentou Lansdorp. De acordo com o executivo, apesar dos valores bilionários que envolvem a iniciativa, os investimentos vão valer a pena e devem ser rapidamente custeados com a transmissão do evento para todas as redes de TV do planeta, além da ajuda de patrocinadores e usuários entusiastas com a ideia de colonizar nosso "vizinho".
"Acredito que o momento em que pisarmos em Marte será um dos mais importantes da humanidade. O homem estará em um novo planeta. Quem não ficaria animado em assistir pela televisão a chegada do homem a Marte?", questionou o empresário. "Os humanos são exploradores. Marte está ao nosso alcance agora. Podemos inspirar crianças a serem astronautas e cientistas em vez de celebridades do universo pop. Ter pessoas vivendo em Marte vai mudar o mundo em vários aspectos".

Os primeiros em Marte

Bas Lansdorp na Campus Party Brasil 2015. (Foto: Reprodução/YouTube)

Lansdorp afirmou que os recursos tecnológicos atuais já permitem enviar humanos ao planeta vermelho. A própria NASA, a agência espacial americana, já tem capacidade de montar uma viagem tripulada a Marte. "O fator mais importante que impede a NASA de colocar o homem em Marte não é a dificuldade [de equipamentos], mas sim porque voltar de Marte para a Terra é ainda mais complicado do que chegar lá", comentou. Segundo o engenheiro holandês, esta seria a única razão da agência não ter mandado seres humanos ao planeta, mesmo após 20 anos de estudo em formas eficazes para trazê-los de volta.
Por isso, a Mars One descarta qualquer possibilidade de retorno à Terra para que o projeto saia bem-sucedido. "Uma missão permanente é menos arriscada do que uma missão que prevê uma volta. Os humanos ficarão em Marte e, por este motivo, não precisamos de todos os equipamentos usados pela NASA. O sistema [de envio de humanos a Marte] precisa ser testado até os mínimos detalhes, mas não precisamos de novas invenções para isso acontecer", disse.
Como se trata de uma viagem sem volta, Lansdorp explicou que a tripulação está sendo escolhida a dedo, especialmente a primeira equipe que deve sair da Terra em 2025. Os quatro primeiros, em específico, terão de passar 7 meses seguidos a bordo de uma nave rumo a Marte, se alimentando apenas de comida seca ou enlatada. Ao chegarem no planeta vermelho, terão de passar mais dois anos sozinhos, trabalhando de forma cooperativa para estudar as condições do planeta e preparar o terreno para que a próxima equipe já chegue ao local sabendo o que irá enfrentar.
"Os primeiros anos serão muito difíceis. Os astronautas não poderão tomar banho e a comunicação com a Terra será bastante complicada", declarou. Ele também destacou várias vezes que o mais importante para os tripulantes será o espírito de equipe, pois só assim poderão sobreviver em um planeta com condições bem distintas das que encontramos aqui na Terra. Para se ter ideia, as condições e as paisagens de Marte lembram um grande deserto, cuja atmosfera é constituída de dióxido de carbono e a temperatura média é de -63º C.
Segundo Lansdorp, mais de 200 mil pessoas de 140 países se candidataram pelo site da Mars One para ingressar no projeto, das quais 10 mil são brasileiras. O processo de seleção é rigoroso e os testes envolvem principalmente a fluência em alguma das onze línguas mais faladas no mundo (além do inglês, que será o idioma oficial das colônias) e a cooperação entre os inscritos - no caso, uma equipe composta por quatro pessoas. Se um deles desistir ou não aguentar a bateria de experimentos, todo o time é eliminado do projeto.
Lansdorp afirmou que o perfil dos candidatos é variado. Ele também revelou que tem planos de enviar "algum jornalista para contar às pessoas como é a vida em Marte" e, assim, "permitir que as pessoas se identifiquem e apoiem o projeto".



FONTE: http://canaltech.com.br/



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…