Pular para o conteúdo principal

Terapia genética restaura visão de ratos e cães cegos e pode ajudar humanos


Estudo da Universidade da Califórnia, nos EUA, cria nova terapia genética que faz ratos cegos desenvolverem sensibilidade à luz

Uma nova terapia genética não só ajudou ratos cegos a recuperarem a visão o suficiente para ter sensibilidade à luz intermitente, distinguindo flashes da escuridão, como também restaurou a resposta de luz para retinas de cães que não enxergavam. A descoberta é um avanço para os cientista que estudam este tipo de terapia em humanos cegos.

O método utiliza um vírus para inserir um gene no canal das células cegas da retina, aquelas que sobrevivem depois que as células fotorreceptoras (sensíveis a luz) morreram.

Nos humanos, essas células fotorreceptoras morrem como resultado de doenças --como a retinite pigmentosa, um distúrbio raro no qual a retina degenera de modo lento e progressivo, levando finalmente à cegueira.

Os cientistas colocaram photoswitches (produtos químicos que mudam de forma quando recebem estímulos de luz) nos canais iônicos dos olhos, para deixá-los abertos para as respostas aos flashes de luz. Isto ativa as células da retina e restaura a sensibilidade da visão.

Em um artigo publicado na edição antecipada da revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências da Universidade da Califórnia (EUA), os cientistas que relataram a terapia de photoswitch, enquanto pesquisadores da visão humana da Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Pensilvânia (PennVet) contaram que ratos cegos recuperaram a capacidade de percorrer os labirintos até encontrar água sem ter dificuldades.

Segundo os pesquisadores, a versão mais recente do photoswitch foi rápida o suficiente para transformar a atividade dos neurônios da retina em uma taxa que se aproxima de um vídeo de 30 quadros por segundo.

O tratamento funcionou também para restaurar a resposta de luz para as retinas degeneradas de cães, indicando que o tratamento pode ser viável na recuperação de alguma sensibilidade de luz em seres humanos que não pode ver.

"O cão tem uma retina muito semelhante à nossa, muito mais do que os ratos. Por isso, agora temos que investir em reanimar retinas de cachorros cegos e analisar se o tratamento tem a mesma velocidade de resposta e garante a mesma sensibilidade", disse o principal pesquisador do estudo Ehud Isacoff, professor de biologia molecular e celular na Universidade de Berkeley.

Os cães foram escolhidos porque herdaram uma doença genética causada pelo mesmo defeito genético que a retinite pigmentosa provoca em humanos.

Vários deles foram tratados e estão em fases de testes para determinar qual o grau de sensibilidade à luz alcançado. "Camundongos não são animais muito visuais, o comportamento deles é em grande parte determinados por impulsos de outros sentidos. Os cachorros têm um sistema visual muito sofisticado e por isso são usados para testes de terapia genética oftálmica", explica John Flannery, professor de ciência da visão e biologia celular e molecular na Universidade de Berkeley envolvido no projeto.

Os pesquisadores continuam a estudar os efeitos do tratamento nos animais, tanto em ratos quanto em cães, para melhorar o photoswitch e desenvolver outras formas de fixar o produto químico a outros receptores, incluindo alguns que poderiam ajudar na percepção de locais com luzes mais fracas.

FONTE: http://noticias.uol.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…