Pular para o conteúdo principal

Estufa espacial é aprovada em teste na Antártica


A colheita foi farta e consumiu menos da metade da energia que se esperava - mas deu muito trabalho.
[Imagem: Hanno Muller/AWI]

Cultivo sem solo

Pesquisadores da Agência Espacial Alemã (DLR) completaram o primeiro ano de testes de uma estufa espacial que está sendo testada na Antártica, chamada Eden ISS.

Os testes comprovaram que uma versão final poderá suprir com folga as necessidades dos astronautas não apenas na Estação Espacial Internacional, mas também em futuras missões na Lua e em Marte.

Os pesquisadores ficaram surpresos em ter alcançado os objetivos com muito menos energia do que o esperado, e com a dimensão da colheita, esta maior do que o esperado.

Foram produzidos 268 quilogramas (kg) de alimentos em uma área de 12,5 metros quadrados durante os 9,5 meses de safra, incluindo 67 kg de pepino, 117 kg de alface e 50 kg de tomate.


Visão artística da estufa espacial em uma base na Lua ou em Marte.
[Imagem: Liquifer Systems Group]

Tempo de cultivo

A carga de trabalho necessária para manter e dar suporte ao sistema, contudo, deverá ser reduzida significativamente para economizar um tempo valioso para os astronautas. Paul Zabel, o horticultor high-tech da DLR, gastava de três a quatro horas por dia de trabalho no cultivo e manutenção.

"A operação e manutenção da tecnologia da estufa ocupava cerca de dois terços do tempo. O terço restante era necessário para a semeadura, colheita e cuidados com as plantas. Para uma futura estufa espacial, a carga de trabalho deve ser significativamente reduzida," disse ele.

Além disso, eram necessárias cerca de quatro a cinco horas por dia para experimentos. O sistema de cultivo aeropônico - usando luz artificial, soluções nutricionais e completamente sem solo - permitiu que as plantas prosperassem. Algumas bombas deram problemas intermitentes e os biofilmes nos tanques de nutrientes eram inesperadamente fortes, mas tudo isso foi corrigido.

O consumo de energia foi menos da metade do que a equipe calculava para uma estufa espacial, alcançando 0.8 quilowatts por metro quadrado, contra o previsto de 2,1 quilowatts.


O ambiente antártico simula bem o frio e o isolamento do espaço.
[Imagem: Hanno Muller/AWI]

Estufa para lançamento ao espaço

Somando tudo, o projeto mostrou-se factível, e a equipe já esboçou uma versão de estufa espacial para lançamento, com a estrutura inteira podendo ser levada ao espaço como um único compartimento a bordo de um foguete Falcon 9.

"Futuras missões espaciais tripuladas de longo prazo exigirão alimentos cultivados localmente. A Eden ISS provou a viabilidade de uma estufa espacial na Antártica e, assim, demonstrou que essa tecnologia também poderia ser usada para produzir alimentos na Lua e em Marte. O conceito de estufa espacial agora apresentado é uma base valiosa sobre a qual desejamos desenvolver mais trabalhos de pesquisa," disse Hansjorg Dittus, da DLR.

A operação da estufa antártica continua em andamento e está aberta a grupos de pesquisa de todo o mundo.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…