Pular para o conteúdo principal

Estufa espacial é aprovada em teste na Antártica


A colheita foi farta e consumiu menos da metade da energia que se esperava - mas deu muito trabalho.
[Imagem: Hanno Muller/AWI]

Cultivo sem solo

Pesquisadores da Agência Espacial Alemã (DLR) completaram o primeiro ano de testes de uma estufa espacial que está sendo testada na Antártica, chamada Eden ISS.

Os testes comprovaram que uma versão final poderá suprir com folga as necessidades dos astronautas não apenas na Estação Espacial Internacional, mas também em futuras missões na Lua e em Marte.

Os pesquisadores ficaram surpresos em ter alcançado os objetivos com muito menos energia do que o esperado, e com a dimensão da colheita, esta maior do que o esperado.

Foram produzidos 268 quilogramas (kg) de alimentos em uma área de 12,5 metros quadrados durante os 9,5 meses de safra, incluindo 67 kg de pepino, 117 kg de alface e 50 kg de tomate.


Visão artística da estufa espacial em uma base na Lua ou em Marte.
[Imagem: Liquifer Systems Group]

Tempo de cultivo

A carga de trabalho necessária para manter e dar suporte ao sistema, contudo, deverá ser reduzida significativamente para economizar um tempo valioso para os astronautas. Paul Zabel, o horticultor high-tech da DLR, gastava de três a quatro horas por dia de trabalho no cultivo e manutenção.

"A operação e manutenção da tecnologia da estufa ocupava cerca de dois terços do tempo. O terço restante era necessário para a semeadura, colheita e cuidados com as plantas. Para uma futura estufa espacial, a carga de trabalho deve ser significativamente reduzida," disse ele.

Além disso, eram necessárias cerca de quatro a cinco horas por dia para experimentos. O sistema de cultivo aeropônico - usando luz artificial, soluções nutricionais e completamente sem solo - permitiu que as plantas prosperassem. Algumas bombas deram problemas intermitentes e os biofilmes nos tanques de nutrientes eram inesperadamente fortes, mas tudo isso foi corrigido.

O consumo de energia foi menos da metade do que a equipe calculava para uma estufa espacial, alcançando 0.8 quilowatts por metro quadrado, contra o previsto de 2,1 quilowatts.


O ambiente antártico simula bem o frio e o isolamento do espaço.
[Imagem: Hanno Muller/AWI]

Estufa para lançamento ao espaço

Somando tudo, o projeto mostrou-se factível, e a equipe já esboçou uma versão de estufa espacial para lançamento, com a estrutura inteira podendo ser levada ao espaço como um único compartimento a bordo de um foguete Falcon 9.

"Futuras missões espaciais tripuladas de longo prazo exigirão alimentos cultivados localmente. A Eden ISS provou a viabilidade de uma estufa espacial na Antártica e, assim, demonstrou que essa tecnologia também poderia ser usada para produzir alimentos na Lua e em Marte. O conceito de estufa espacial agora apresentado é uma base valiosa sobre a qual desejamos desenvolver mais trabalhos de pesquisa," disse Hansjorg Dittus, da DLR.

A operação da estufa antártica continua em andamento e está aberta a grupos de pesquisa de todo o mundo.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…