Pular para o conteúdo principal

Experimento chinês revela a estranheza da mecânica quântica batendo recordes de distância



Mecânica quântica é estranha pra caramba. As regras do mundo como você as conhece não se aplicam. Mesmo a distâncias de milhares de quilômetros umas das outras, as partículas parecem conseguir se comunicar entre elas instantaneamente, por exemplo.

Cientistas chineses colocaram essa ideia em um teste extremo, observando o que Albert Einstein chamou de “Fantasmagórica Ação à Distância” entre estações recebendo feixes de luz de satélites. A pesquisa esmaga o recorde anterior de cerca de 100 quilômetros de distância. Não espere que esse tipo de coisa tenha qualquer efeito em sua vida por enquanto, mas, no futuro, pode ter aplicações computacionais quânticas importantes.

Então, o que está acontecendo?

A matemática da mecânica quântica vem com uma estranha propriedade de emaranhamento, em que partículas podem assumir propriedades relacionadas se acabarem juntas em uma equação. Se você separa essas partículas espacialmente, então elas permanecem emaranhadas com essas propriedades até que você observe uma delas — então, a outra partícula assume seu valor correspondente. É como se o o fato de que você tenha observado a primeira partícula imediatamente transmita a informação para a outra partícula sobre qual aspecto ela deve ter.

É por isso que Einstein a chamou de “Fantasmagórica Ação à Distância”. Porque é fantasmagórica e porque as partículas, de alguma maneira, parecem se comunicar à distância. E ele não quis acreditar que seu efeito era real.

Experimentos feitos desde a década de 1970 de fato já provaram que essa Ação Fantasmagórica à Distância existe, mas esses testes anteriores exigiam fibras ópticas ou outros componentes que enfraqueciam o sinal. Dessa vez, no entanto, a equipe chinesa usou seu recém-lançado satélite Micius, que lhe permitiu enviar fótons sem obstrução através do vazio do espaço. Eles publicaram seu resultado na Science, nesta quinta-feira (15).

O experimento em si é um caminho bastante indireto para se fazer essas observações. A equipe teve várias estações terrestres espalhadas longe umas das outras e um satélite. Este contém um laser com um dispositivo para separar o feixe, quando então passa por meio de um cristal especial para enredar os pares de fótons. Os feixes divididos então viajam para dois laboratórios diferentes, com até 1.200 quilômetros de distância. Os pesquisadores então abriram a caixa nos laboratórios e compararam.

Outros físicos ficaram impressionados, mas é importante notar que apenas um em seis milhões de fótons foram recuperados com precisão, como contou o físico Alexander Ling, da Universidade Nacional de Singapura, à Science. Mas mesmo isso é um passo enorme em relação aos experimentos terrestres anteriores, disse o cientista-chefe da equipe, Jian-Wei Pan, da Universidade de Ciência e Tecnologia da China, em Hefei, em entrevista à Scientific American.

Você provavelmente está se perguntando qual o uso que esses satélites de fato teriam. Uma possibilidade é que fótons emaranhados possam ser importantes para as telecomunicações. Se alguém tentasse interceptar dados enviados por uma dessas linhas quânticas, o destinatário saberia imediatamente, já que receberiam dados não emaranhados.

Então, tecnologicamente, esse é um passo gigante, como contou Jürgen Volz, físico do Vienna Center for Quantum Science and Technology, contou ao LA Times. Mas ainda resta muito, muito tempo até que vejamos, de fato, essa tecnologia sendo usada em nossas redes de comunicação.

[Science via Scientific American]

Imagem do topo: Alex Sukontsev/Flickr

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…