Pular para o conteúdo principal

Urano é um planeta fantástico e deveríamos visitá-lo



Urano é um planeta bem triste e solitário. Apesar de ter sido descoberto em 1781, ele não foi visitado até 1986, quando a sonda Voyager 2 realizou o único sobrevoo sobre o planeta. É uma pena que não tenhamos voltado lá, porque Urano é verdadeiramente fascinante. Além de ser um dos planetas mais gelados no nosso Sistema Solar, com temperaturas chegando a -224 ºC, ele é compreendido por duas séries de anéis negros e cercado por 27 luas, todas com nomes inspirados em personagens de Shakespeare. Para um planeta tão grande, Urano permanece esquecido, e é por isso que agora é a hora perfeita de fazer uma viagem para lá.

Algumas pessoas já estão planejando isso. Na semana passada, na 48ª Conferência de Ciência Lunar e Planetária em Woodlands, no Texas, uma equipe de pesquisadores apresentaram um pôster detalhando um conceito de uma missão que orbitaria Urano, batizada de “OCEANUS”. A equipe, liderada por Ali M. Branson da Universidade do Arizona, propõe que a NASA lance uma sonda espacial em 2030 que chegaria ao planeta em 2041, depois de duas assistências gravitacionais de Vênus e outra da Terra. A sonda estudaria o núcleo rochoso de Urano, bem como sua magnetosfera incomum e desequilibrada. Apenas Netuno tem um campo magnético tão desequilibrado.

“A necessidade de explorar os gigantes de gelo é imperativa – é a classe de planetas menos explorada”, escreveu a equipe em seu pôster. “A estrutura e composição desses planetas diferem significativamente de gigantes de gás [como Júpiter e Saturno]. Modelos interiores atuais discordam com os modelos da formação do sistema solar sobre o tamanho esperado do núcleo. Os campos magnéticos únicos e a geração de dínamo não foram bem caracterizadas”.

Resumindo, nós não sabemos praticamente nada sobre os gigantes de gelo – planetas compostos principalmente por oxigênio, carbono, nitrogênio e enxofre – apesar de termos dois em nosso Sistema Solar, Urano e Netuno.

Uma missão para Urano não iria apenas respondem algumas grandes questões sobre os gigantes de gelo, iria ajudar a aumentar o perfil público desses planetas ignorados por muito tempo, segundo Amara Graps, cientistas sênior no Planetary Science Institute.

“Na minha opinião, a resposta mais simples sobre o porquê Urano é ignorado [na mídia] é o fato de não tem havido missões espaciais desde o Voyager 2. Eu estive na JPL durante os meses em que esse encontro aconteceu: 24 de janeiro de 1986. No entanto, o encontro especial com Urano foi eclipsado mesmo naquele tempo”, disse ela ao Gizmodo.

Isso porque quatro dias depois, aconteceu o acidente do ônibus espacial Challenger, em que o ônibus explodiu 73 segundos depois do lançamento, matando os sete tripulantes. A tragédia chamou a atenção do público, ofuscando algumas das conquistas da Voyager 2.

“Todos cientistas experimentaram essa montanha russa emocional também. Naquele dia, nós estamos animados sobre os últimos resultados da Voyager, e depois ao assistir o lançamento e explosão da Challenger na NASA TV, ficamos entorpecidos pela dor. A imprensa registrou os dois eventos, mas o Urano acabou não tendo um dia inteiro nos olhos do público”.


Imagem: NASA

Neste momento, é Marte quem está em voga: todo mundo, de Buzz Aldrin a Elon Musk, está pensando em realizar missões tripuladas para lá nas próximas décadas. Musk quer, inclusive, construir uma colônia no Planeta Vermelho. Mas não é porque não podemos viver em planetas como Urano que não devemos tentar entendê-lo melhor.

Imagem do topo: NASA

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…