Pular para o conteúdo principal

Agência Espacial Europeia vai mandar sua primeira sonda terrestre para Marte em 2020


As sondas terrestres marcianas são ótimas por vários motivos, talvez o mais importante seja que elas nos permitem viver a experiência marciana por meio de um pedaço de metal andando pelo Planeta Vermelho. A NASA está atualmente trabalhando em uma missão de sonda terrestre ainda sem nome agendada para 2020 e está no processo de definir o local do pouso. A Agência Espacial Europeia (ESA) também acabou de anunciar que está debatendo dois lugares para sua missão de 2020, a ExoMars, que irá buscar sinais de vida antiga.

“Embora os três lugares que estão sendo discutidos [pela ESA] nos dariam excelentes oportunidades de buscar assinaturas de antigos biomarcadores e entendermos melhor o passado mais úmido do planeta, nós podemos escolher apenas dois lugares para uma análise mais detalhada”, Jorge Vago, cientista do projeto ExoMars da ESA, disse em um comunicado à imprensa. “Ambos os lugares candidatos explorariam um período da história marciana antiga que não foi estudado em missões anteriores.”

Mapa do relevo de Oxia Planum (Imagem: NASA/JPL-Caltech/Arizona State University; analise: IRSPS/TAS-I)

Os dois locais em questão, Oxia Planum e Mawrth Vallis, ficam logo ao norte do equador e ambos apresentam depósitos geológicos que se acredita terem se formado em condições mais úmidas em algum ponto do passado distante de Marte. Além do fato de que lugares que preservaram a história antiga dos oceanos marcianos são uma ótima escolha na caça por aliens, ambas as localizações têm elevações relativamente baixas, o que permitirá à ExoMars atmosfera o bastante para ajudar a desacelerar durante sua descida com paraquedas.

Mawrth Vallis. (Imagem: ESA/DLR/FU Berlin)

Imagina-se que Oxia Planum contenha leitos de minerais ricos em argila e que, cerca de 3,9 bilhões de anos atrás, diversos rios de água passavam por essa região. A apenas algumas centenas de quilômetros de distância, Mawrth Vallis apresenta depósitos ricos em argila similares, de acordo com as observações da órbita. A ESA espera ter uma decisão final sobre a localização de pouso um ano antes do grande lançamento.

O ExoMars faz parte de uma série de missões marcianas da ESA e da russa Roscosmos State Corporation. Ano passado, o ExoMars Trace Gas Orbiter alcançou a atmosfera de Marte e logo vai começar a coletar metano e outros gases atmosféricos que podem revelar algum tipo de atividade biológica, do passado e do presente. Sua próxima iteração vai se sujar na superfície do planeta vermelho e nos mandar informações de volta para a Terra por meio do Trace Gas Orbiter. Isso, é claro, se o pouso da sonda terrestre da ExoMars em 2020 acontecer mais suavemente do que a infeliz tentativa de pouso da Schiaparelli no ano passado.

Com toda essa exploração de Marte, é melhor alguém encontrar algo bom naquele planeta. Mas sem pressão.

[ESA]

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…