Pular para o conteúdo principal

Físicos encontram evidência de que o Universo já foi um holograma


“Eu não diria que você vive em um holograma, mas pode ter saído de um”, afirmou o coautor do estudo

Já imaginou a possibilidade do nosso Universo não passar de uma ilusão? Um reflexo formado por um gigantesco holograma? Os cientistas já. E, pela primeira vez, eles conseguiram evidências quentes que comprovam a ideia. Parece absurdo, mas calma, faz sentido — acomode-se na cadeira e acompanhe…

Pesquisadores da Universidade de Southampton, no Reino Unido, Universidade de Waterloo e Instituto Perimeter, no Canadá, Lecce e Universidade de Salento, na Itália, publicaram um estudo no periódico Physical Review Letters sobre o assunto.

Trata-se de uma das mais de dez mil pesquisas sérias relacionadas ao conceito do Universo Holográfico, criado pelo físico Leonard Susskind, nos anos 1990. Logo, não é loucura, nem argumento de um novo filme do Christopher Nolan.

O que aconteceu foi que todos estes físicos teóricos e astrofísicos descobriram que uma das explicações para a formação do Universo cabe direitinho em um modelo de duas dimensões (2D) do Universo. O problema é que até onde se sabe o cosmos é formado por três dimensões (altura, profundidade e largura) mais o tempo.

Então, como raios a humanidade, ou melhor, o Universo inteiro poderia funcionar com uma dimensão a menos (sendo que é só olhar para a frente para ver que tudo ao nosso redor é em 3D)?

“Imagine que tudo o que você vê, sente e ouve em três dimensões (mais a sua percepção de tempo), na verdade, emana de um campo plano de duas dimensões”, propõe um dos pesquisadores da equipe Kostas Skenderis, da Universidade de Southampton. “A ideia é similar a dos hologramas comuns, nos quais uma imagem em 3D está decodificada em uma superfície em 2D, como o holograma de um cartão de crédito. A diferença é que agora é o Universo inteiro que está decodificado.”


A IDEIA DO UNIVERSO HOLOGRÁFICO É SIMILAR A DOS HOLOGRAMAS COMUNS, NOS QUAIS UMA IMAGEM EM 3D ESTÁ DECODIFICADA EM UMA SUPERFÍCIE EM 2D(FOTO: REPRODUÇÃO)

Só para deixar claro: ninguém está dizendo que nós estamos vivendo agora em um holograma, ou em uma representação do mundo. Desculpe, Platão, a alegoria da caverna não se aplica aqui. O que os pesquisadores propõem é que isso pode ter acontecido no surgimento do Universo, lááá próximo do Big Bang, há quase 14 bilhões de anos.

Como assim?
Se você acompanha a GALILEU sabe que os físicos simplesmente não conseguem conciliar o modelo da mecânica quântica (que regula o universo das coisas menores do que um átomo) com o modelo da relatividade geral (aquela mesma proposta por Einstein, que regula os corpos gigantescos como estrelas e planetas).

Esse problema fica especialmente mais grave quando os físicos tentam descrever o surgimento do Universo, quando, segundo a teoria do Big Bang, toda a massa e energia existentes estavam contidas em um único ponto menor do que uma ervilha.

Assim, existem duas físicas completamente diferentes que não conversam entre si, já que a mesma gravidade que explica tão bem o comportamento dos planetas, por exemplo, simplesmente não vale para explicar o comportamento de partículas subatômicas. Mas existe um sopro de esperança. Uma das teorias que tenta fazer as duas físicas conversarem é conhecida como gravidade quântica.

Para o físico italiano Carlo Rovelli, apesar de ainda ser só uma teoria sem comprovação em laboratório (como muita coisa na física teórica), essa ideia é a que melhor explica a realidade que nos cerca. Isso porque, resumindo muito, para a gravidade quântica não existe um espaço-tempo. É isso mesmo que você leu: não existe o espaço, e não existe o tempo. Nem é preciso dizer que a ideia é polêmica. Mas cada vez mais se sustenta.

Segundo esta concepção de mundo, tudo seria formado por campos quânticos — compostos pelas partículas que conhecemos, como a luz, por exemplo. “Os campos que vivem sobre si mesmos, sem necessidade de um espaço-tempo que lhes sirva de substrato, de suporte, capazes de gerar eles mesmos o espaço-tempo, são chamados de ‘campos quânticos covariantes’”, explica Rovelli no livro A realidade não é o que parece (Objetiva) — que vai ser lançado em março . Ou seja, os campos não precisariam de um espaço-tempo para se acomodar porque eles próprios são o espaço-tempo.

Essa ideia é capaz de fazer com que os físicos teóricos respirem mais aliviados, porque além de tempo e espaço, a teoria também elimina o universo infinitamente pequeno, menor do que as partículas subatômicas, onde a mecânica quântica atuaria. “A tensão entre a relatividade geral e a mecânica quântica, portanto, não é tão grande quanto parecia no início”, escreveu Rovelli.

“As relações espaciais que tecem o espaço curvo de Einstein são as mesmas interações que tecem as relações entre os sistemas elementares da mecânica quântica. Elas se tornam compatíveis e aliadas, duas faces da mesma moeda, assim que se percebe que espaço e tempo são aspectos de um campo quântico e que os campos quânticos podem viver mesmo sem ter os ‘pés fincados’ em um espaço externo.”

Parece estranho, mas lembra quando você assistiu a Interestelar e descobriu que o tempo não é o mesmo em todo o Universo? Que graças à relatividade de Einstein a filha de Matthew McCconaughey poderia envelhecer muito mais do que o próprio pai? Pois é, o cosmos é um lugar fascinante e nada óbvio…


LEMBRA QUANDO VOCÊ ASSISTIU A 'INTERESTELAR' E DESCOBRIU QUE O TEMPO NÃO É O MESMO EM TODO O UNIVERSO? (GIF: REPRODUÇÃO/ INTERESTELAR)

Voltando ao que importa...
O interessante da gravidade quântica é que ela prevê que se você eliminar uma dimensão, você também pode eliminar a gravidade, tornando os cálculos muito mais fáceis. Com esta ideia em mente, os pesquisadores desenvolveram um modelo com duas dimensões (mais o tempo) para explicar como o princípio do holograma poderia explicar os acontecimentos do Big Bang e suas consequências.

Os cientistas inseriram informações do nosso Universo, incluindo observações da radiação cósmica de fundo em micro-ondas — um tipo de radiação emitida alguns milhares de anos após o Big Bang. E para a surpresa de todos, com alguns ajustes, o modelo e os dados deram um match.

“Os pesquisadores dizem ques estão bem longe de provar que o nosso Universo era um holograma no começo, mas o fato de as evidências observacionais do mundo real explicarem partes faltantes das leis da física em duas dimensões significa que não devemos descartar a ideia”, afirma o Science Alert.

De qualquer forma, pode ficar tranquilo: você não é um desenho animado vivendo em um mundo sem profundidade. O principal autor do estudo Niayesh Afshordi, da Universidade de Waterloo, é categórico: “Eu não diria que você vive em um holograma, mas pode ter saído de um”, afirmou ao site Gizmodo. Segundo ele, hoje, o Universo definitivamente tem três dimensões.



FONTE: REVISTA GALILEU/CANAL YOUTUBE NERDOLOGIA


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…