Pular para o conteúdo principal

Arqueólogos confirmam autenticidade de manuscrito mais antigo da era pré-colombiana



Cientistas vinham discutindo a autenticidade de um antigo documento chamado Códice Grolier durante os últimos 50 anos. Uma nova análise publicada numa edição especial da revista Maya Archaeology concluiu que o códice é, de fato, genuíno. Agora, este é o mais velho manuscrito da era pré-colombiana já encontrado.

Talvez você não conheça o Códice Grolier. São as páginas restantes de um livro, feito de papel amate revestido de estuque e dobrado na forma de um acordeão. As páginas possuem iconografias típicas do povo maia – deuses, guerreiros, escravos e hieróglifos, por exemplo – e um calendário que mapeia o movimento do planeta Vênus.

Diz a lenda que saqueadores encontraram as páginas danificadas em 1960 numa caverna mexicana, junto com uma máscara recoberta de mosaicos de turquesa, uma faca sacrificial e alguns pedaços de papel amate em branco. Pelo menos foi essa a história contada por Josue Saenz, que afirma que os saqueadores o contactaram e o levaram de avião até uma pista de pouso remota para recolher os itens – embora pelo menos uma arqueóloga, Donna Yates, diga que essa versão é “fantasiosa”.

A versão questionável e as ações subsequentes de Saenz colocaram a autenticidade dos fragmentos do códice em xeque desde o início, mesmo que os outros artefatos tivessem sido confirmados como genuínos. Cientistas testaram o códice em 2007, mas não conseguiram confirmar sua autenticidade, já que parte dos materiais utilizados eram pré-colombianos, mas o desgaste nas páginas pareciam artificiais. Um falsificador talentoso poderia usar materiais do período para enganar os arqueólogos, por exemplo. O teste de radiocarbono indicavam que as páginas em branco que foram encontradas junto com o códice, datavam de 1230 d.C.



“Se formou um tipo de dogma em torno da ideia de que isso era falso” diz o co-autor do estudo, Stephen Houston da Universidade Brown, num comunicado. “Decidimos voltar e olhar para o material com muito cuidado, e checar cada crítica. Agora nós estamos fazendo um fac-símile do livro. Não pode haver a menor dúvida de que o Códice Grolier é genuíno.”

Junto com Michael Coe da Universidade de Harvard e Mary Miller e Karl Taube da Universidade da California em Riverside, Stephen revisou toda a pesquisa publicada sobre o códice.

Isso incluiu a avaliação das origens do manuscrito, os resultados da datação do carbono, as várias divindades representadas, como o papel amate foi feito, os pigmentos azuis maias, as linhas vermelhas finas de esboço debaixo das pinturas, entre outros aspectos. A equipe concluiu que um falsificador dos anos 1960 não teria como saber todos os detalhes para criar uma falsificação como esta. Muitas das divindades registradas no códice ainda não tinham sido descobertas naquela época, por exemplo. E os cientistas não tinham conseguido reproduzir o azul maia em laboratório até os anos 1980.

Existem outros três manuscritos maias autênticos: o Códice Dresden, Códice de Madrid e o Códice de Paris. Há algumas variações entre eles, mas todos possuem um calendário astronômico que indica os movimentos de corpos celestes. E os testes de radiocarbono mostram que o Códice Grolier é o mais velho entre eles.

“Uma evidência de peso deixa apenas uma conclusão possíveis”, escreveram os autores. “Quatro códices maias intactos sobreviveram do período pré-colombiano, e um deles é o Grolier.

[Maya Archaeology]
Imagens: Justin Kerr.

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…