Pular para o conteúdo principal

A filha de Galileu

Virgínia, ou soror Maria Celeste.

Por Alessandro Soares

A correspondência de Virginia Galilei (1600-1634), ou sóror (freira) Maria Celeste, para seu pai Galileu Galilei (1564-1642), inventor do telescópio e da ciência experimental moderna, são o mote de A Filha de Galileu (Companhia das Letras, 385 págs., R$ 31,50), da escritora Dava Sobel. Esta curiosa união entre ciência e fé aparece no livro mais do que teorias astronômicas.
A autora descreve as impressões desta relação pai e filha, apoiadas ainda nas cartas de Galileu, natural de Pisa, na Itália, para amigos e colegas. Sua filha vivia desde os 16 anos na clausura do convento das clarissas de San Matteo, região da Toscana. Por Maria, sabemos que Galileu adorava os doces de cidra que fazia. Que as roupas que ele usava e que aparecem nas pinturas que o retratam foram feitas por ela, incluindo o avental de couro, usado em casa para cuidar de sua horta e vinhas. Descobrimos até sua predileção pelas laranjas, fruta que ele adorava.

O drama das seguidas doenças de Galileu, suas descobertas com o telescópio (manchas solares, satélites de Júpiter), as críticas que recebia, a peste bubônica de 1630, e a condenação do pai em 1633 são narrados pela filha em 124 cartas resgatadas. Infelizmente, as cartas de Galileu ficaram perdidas (supostamente queimadas pela abadessa do convento).

Maria Celeste acompanha com temor o famoso embate entre ciência e religião, que condenou Galileu a abjurar de sua afirmação de que a Terra gira em torno do Sol imóvel, contrariando a Bíblia, em 22 de junho de 1633, em Roma, no Tribunal do Santo Ofício. Essa teoria, o heliocentrismo, publicada por Nicolau Copérnico (1473-1543) no ano de sua morte, foi reforçada com as descobertas de Galileu e descritas metaforicamente em seu livro Diálogos sobre os Dois Principais Sistemas do Mundo: o Ptolemaico e o Copernicano, causa de sua condenação. Galileu teria dito, em voz baixa, após ler sua abjuração "Epuur si muove" (E, no entanto, se move). Nada existe a favor nem contra esta afirmação. Galileu teve ainda de fazer silêncio sobre suas teorias, viver até a morte em prisão domiciliar em Ascerti, Toscana, e recitar salmos penitenciais toda semana.

Maria Celeste (ela adotou esse nome quando fez votos, reconhecendo o fascínio do pai em olhar para o céu, e não para o Céu) vivia uma situação difícil sendo noiva de Cristo e tendo como pai um potencial inimigo da Igreja Católica desde Martinho Lutero (1483-1546). Mas aprovava o empenho do pai. Outra filha de Galileu, Lívia, também vivia no mesmo convento como sóror Arcângela; seu filho Vicenzio formou-se em Direito em Pisa. Mas somente com Maria Celeste ele manteve uma correspondência regular. Ela morreu de desidratação.

Galileu continuou católico. Em carta à Gra-Duquesa Cristina de Lorena, uma de suas críticas, argumentou: "Descobri nos céus várias coisas que não haviam sido vistas antes de nosso tempo. A novidade desses achados, assim como as conseqüências que deles decorriam em contradição com as noções físicas comumente defendidas pelos filósofos acadêmicos, acirrou contra mim um número não pequeno de professores - como se eu tivesse posto essas coisas no céu com minhas próprias mãos com a finalidade de conturbar a Natureza e subverter as ciências". Galileu experimentava o mesmo drama de Cristóvão Colombo (1451-1506): provocar uma grande mudança de paradigma que abala o establishment.

FONTE: http://www.dgabc.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…