Pular para o conteúdo principal

A Estação Espacial ganhou um dispositivo que pode ajudar a descobrir vida alienígena



A Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) ganhou uma ferramenta incrível: um sequenciador de DNA portátil. Os cientistas esperam que ele possa ajudar na busca pela vida no espaço e querem compreender porque estão nascendo fungos nas paredes da estação.

O sequenciador biomolecular, batizado de MinION, será enviado para a ISS na segunda-feira. O astronauta Kate Rubins irá usá-lo para tentar realizar o primeiro sequenciamento de DNA no espaço. Conversamos com os cientistas da NASA — Camille Alleyne, Aaron Burton e Sarah Wallace — que estão por trás do projeto para descobrir o que mais o dispositivo pode fazer, tanto agora quanto no futuro.


O sequenciador biomolecular. Imagem: Oxford Nanopore Technologies via NASA

A ISS é um ensopado de micróbios. Novos astronautas são enviados constantemente e é normal que eles levem diversos microrganismos. Uma das tarefas que os cientistas esperam que o sequenciador realize é investigar o que exatamente flutua pela estação. Até agora, a única maneira de descobrir isso é com um tradicional teste de cultura numa placa de Petri. O novo dispositivo, no entanto, é capaz de fazer análises do ar e da água quase que imediatamente.

“Toda a água [da ISS] é reciclada da urina, suor, etc” contou Sarah Wallace ao Gizmodo. Ela é microbiologista e gerente do projeto. “A água está sendo processada num local limpo de micróbios? Queremos saber em tempo real se o processador de água está funcionando.”

Monitorar a qualidade do ar e da água já é um grande passo. Mas algumas outras questões podem ser respondidas com o sequenciador. Por exemplo, o que são os fungos que os astronautas encontram nas paredes da Estação.

“No passado tivemos fungos visíveis crescendo na ISS e queremos saber que tipo de fungo é esse” disse Wallace. “É benigno ou algo com que devemos nos preocupar? Sabendo o que é, os microbiologistas podem recomendar o que deve ser feito a respeito deles.”


Um estranho fungo que apareceu na ISS. Imagem: NASA

O sequenciador poderia responder também algumas questões sobre o impacto a longo prazo de se viver no espaço, ou até mesmo ser usado para diagnosticar doenças nos astronautas, já que eles tendem a ficar cada vez mais tempo nas missões.

Mas uma das aplicações mais animadoras do dispositivo só poderá ser vista futuramente, quando ele deixar a ISS e puder explorar o espaço. Os pesquisadores esperam um dia usá-lo para identificar vida — praticamente em tempo real — em outros planetas, inclusive em Marte.

“Por várias razões o sequenciador é bom para a microbiologia — ele é pequeno, leve e bem robusto — é um bom equipamento para mandarmos para outros locais em nosso sistema solar” disse ao Gizmodo Aaron Burton, astrobiólogo e líder do projeto. “Então se você quisesse ir para Marte e ver se há vida, você teria um pequeno dispositivo que poderia levar consigo e então começar a procurar.”

É claro que a vida pode ter múltiplas formas. O sequenciador ajudaria a identificar quais tipos de vida estamos levando conosco ou com robôs para o espaço. Mas outra possibilidade animadora seria encontrar vida nativa em outros planetas. Os pesquisadores já estão procurando saber como o sequenciador poderia ser modificado para lidar com vida alienígena — por exemplo, vidas que sequer tenham um DNA.

“Você não precisa sequenciar DNA, ele poderia se relacionar com moléculas”, disse Burton. “RNA é o que a gente tem na Terra, mas você também pode pensar em ter diferentes açúcares com diferentes bases nucleotídicas. Você poderia procurar por uma gama de informações diferentes a partir das moléculas e algumas pessoas já estão pesquisando sobre o sequenciamento de proteínas a partir do dispositivo, também.”

Mesmo que algumas dessas aplicações estejam num futuro distante e fisicamente longe do nosso planeta, os resultados das pesquisas dos astronautas poderia ter impacto por aqui. A ISS também funciona como um modelo, para aprendermos a conduzir operações em zonas remotas da Terra. Ter um sequenciador no espaço também abre possibilidades em laboratórios, com estudos que poderiam nos ajudar no entendimento dos genes e compreender como eles funcionam.

“Também existem benefícios para a Terra” conta Camille Alleyne, cientista associada ao ISS. “Entender, por exemplo, como ocorre a expressão genética na salmonela, poderia levar ao desenvolvimento de uma vacina. Existem aplicações no espaço, mas benefícios nas nossas vidas também.”

Mas por enquanto, o primeiro projeto do sequenciador servirá para ver se ele consegue ter uma boa performance no espaço. Se os resultados forem positivos, teremos grandes avanços.

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…