Pular para o conteúdo principal

Uma nova partícula descoberta por físicos é mais exótica do que já vimos antes



Depois de um longo e glorioso histórico de descobertas científicas, o colisor de partículas Tevatron do Fermilab (Laboratório Nacional do Acelerador Fermi) foi oficialmente aposentado em 2011. Mas os dados de seu último experimento ainda estão rendendo resultados bem interessantes.

Físicos da colaboração DZero anunciaram a descoberta de uma nova partícula, que se acredita ser parte de uma família exótica chamada “tetraquarks”.

“No início, eu não acreditava que fosse uma nova partícula”, disse Dmitri Denisov, porta-voz do DZero, à revista Symmetry. “Só depois de realizar múltiplas verificações cruzadas, começamos a acreditar que o sinal que vimos não poderia ser explicado por processos conhecidos ou de fundo – era a evidência de uma nova partícula.”

Os sabores dos quarks
Quarks são atualmente os menores componentes conhecidos da matéria, combinando-se normalmente em grupos de dois ou três para formar partículas subatômicas. Por exemplo, o próton é composto de três quarks, assim como o nêutron.

Existem seis tipos de quarks, também chamados de “sabores” – para cima, para baixo, inferior, superior, estranho e charmoso (!) – e eles podem se combinar em centenas de formas. Os quarks foram propostos pela primeira vez em 1964 por Murray Gell-Mann e George Zweig.

Durante muito tempo, os físicos não tinham evidência de que os quarks poderiam vir em qualquer outra combinação além de dois ou três (embora Gell-Mann tenha previsto que poderia haver partículas feitas de quatro ou até mesmo cinco quarks).

Isso mudou em 2003, quando físicos japoneses descobriram a primeira evidência de tetraquarks. Desde então, vários outros candidatos a tetraquark foram identificados – mais recentemente, no Grande Colisor de Hádrons em 2014.

Tal como o nome indica, estas partículas são compostas de quatro quarks estreitamente unidos pela força nuclear forte. Elas estão relacionadas ao pentaquark, uma partícula ainda mais exótica, composta de cinco quarks e descoberta no ano passado pela colaboração LHCb do Grande Colisor de Hádrons.

Uma partícula ainda mais exótica
Chamado X(5568), o tetraquark recém-descoberto é incomum mesmo entre os membros exóticos de sua família. Tetraquarks previamente descobertos geralmente contêm, pelo menos, dois quarks do mesmo sabor. Enquanto isso, o X(5568) é composto por quatro sabores diferentes: para cima, para baixo, estranho e inferior.



A equipe do DZero encontrou a nova partícula ao detectar uma assinatura única de decaimento a partir de dados recolhidos do Tevatron entre 2002 e 2011, envolvendo bilhões de eventos de colisão registrados.

O sinal que eles encontraram escondido nos dados atende o chamado limite “cinco sigma” – padrão que define o grau de certeza na física de partículas. Isso significa que há apenas cerca de 1 chance em 6 milhões de esta ser uma observação acidental. O estudo foi submetido à revista Physical Review Letters.

“A próxima tarefa será entender como os quatro quarks estão reunidos”, disse Paul Grannis, porta-voz do DZero. “Eles poderiam estar amassados em uma bola apertada, ou eles podem ser um par de quarks firmemente presos que giram a uma certa distância do outro par.”

Ao entender melhor a estrutura interna e as propriedades deste novo tetraquark, os físicos podem aprender ainda mais sobre como a força forte conecta partículas subatômicas.

[Fermilab via Symmetry]

Imagens via Fermilab

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…