Pular para o conteúdo principal

Histórico: satélite Vanguard 1 está há quase 60 anos no espaço


Satélite Vanguard 1 sendo montado no topo do foguete lançador

A história da exploração espacial tem muitos feitos a comemorar nos últimos 60 anos. Desde o lançamento do primeiro satélite artificial, o Sputnik, em outubro de 1957, até as mais recentes descobertas feitas pelas sondas extraterrestres, os motivos para celebração não param de crescer, e se depender da vontade dos pesquisadores espaciais, ainda teremos muitas velinhas pela frente.

Em 17 de março de 1958, partia de Cabo Canaveral, na Flórida, o quarto satélite artificial feito pelo homem, o Vanguard 1. Poderia ser apenas mais uma informação sobre a grande corrida espacial do século 20 se não fosse por um pequeno detalhe: O Vanguard 1 é o mais antigo satélite que ainda orbita a Terra. Seus predecessores, Sputnik 1 e 2 e Explorer 1 reentraram na atmosfera pouco tempo depois de lançados.


Pioneirismo
Vanguard 1 foi o primeiro satélite a usar células solares para alimentação dos circuitos internos e foi lançado como uma das contribuições dos EUA para o Ano Geofísico Internacional, IGY, entre julho de 1957 e dezembro de 1958.

Três instituições, todas militares, participaram do projeto.

Ao exército coube as operações das estações de rastreio enquanto a força-aérea providenciou o local de lançamento. Todo o equipamento científico ligado à coleta de dados ficou a cargo do NRL, Laboratório de Pesquisa Naval norte-americano, responsável perante os organizadores do IGY em colocar os experimentos ao redor da Terra.


Pequeno Notável
O Vanguard 1 não era um satélite grande. Ao contrário. Media aproximadamente 15 centímetros de diâmetro e seu peso não passava de 1500 gramas. Para ter uma ideia, o Sputnik 1 pesava aproximadamente 100 quilos. Devido às suas pequenas dimensões foi chamado pelo então primeiro-ministro soviético, Nikita Khrushchev, de "satélite-pomelo".


Satélite Vanguard 1 sendo preparado por um dos cientistas do projeto. As pequenas caixas quadradas ao redor da estrutura são as células solares, desenvolvidas pelos Laboratórios Bell em 1954. O lançamento do Vanguard 1, quatro anos depois, provou que as células podiam durar muitos anos no espaço.

Desde que foi lançado, o Vanguard 1 já executou quase 229 mil revoluções ao redor da Terra, percorrendo uma distância superior a 9.5 bilhões de quilômetros, bem maior que a distância da Terra a Plutão. Quando foi lançado, forneceu importantes informações sobre o tamanho e deformação do nosso planeta e estabeleceu uma série de recordes espaciais.

Vanguard 1 também foi pioneiro em muitas das tecnologias aplicadas aos satélites norte-americanos e provou que as células solares poderiam ser empregadas por diversos anos na alimentação de transmissores e circuitos eletrônicos.

Para ter uma ideia, os pequenos painéis solares instalados ao redor do satélite operaram os circuitos por mais de 7 anos. Se fossem alimentados por baterias convencionais não funcionariam por mais de 20 dias.


Missão Cumprida
Vanguard 1 cumpriu 100% dos seus objetivos científicos. Entre eles se destacaram:

Foi o primeiro satélite a operar com células solares
Retornou valiosas informações sobe a densidade do ar, variações de temperatura e impacto de micrometeoritos.
Manteve-se em órbita tão estável que permitiu aos cartógrafos redesenhar os mapas das ilhas do Pacífico
Comprovou que a Terra não era uma esfera perfeita e sim achatada nos polos.
Apesar do sinal de localização cessar em 1964, até hoje Vanguard 1 continua servindo à comunidade científica. Diversas estações de rastreio, oficiais e amadoras, diariamente calculam sua posição e fornecem importantes dados sobre os efeitos do Sol, Lua e alta atmosfera nas órbitas dos satélites.



Orbita estável
Quinze anos após seu lançamento, Vanguard 1 se localizava em uma órbita com apogeu de 4 mil quilômetros acima da superfície da Terra, enquanto seu perigeu era de 566 quilômetros. No ano de 2000 sua altitude havia decaído para 3316 quilômetros de apogeu e 563 quilômetros de perigeu. Seu período orbital caiu de 133.8 minutos para 132.8 minutos.

Apogeu é o ponto de maior afastamento de um satélite com relação à Terra e perigeu é o ponto de maior aproximação. Período é o tempo que o satélite leva para completar uma órbita.

Na época do lançamento do Vanguard, os cientistas do NRL construíram em diversas partes do planeta uma série de estações de rastreio a qual deram o nome de Minitrack. Essas estações captavam os sinais do Vanguard e calculavam os parâmetros orbitais que eram usados na previsão de posição e determinação das órbitas futuras. Alguns anos mais tarde o Minitrack deu origem ao atual Sistema de Vigilância Espacial, dos EUA, que tem a capacidade de detectar e calcular parâmetros de qualquer satélite desativado que passa sobre o país.

Dois Mil Anos
Quando foi lançado, as estimativas eram de que o Vanguard 1 deveria se manter em órbita por pelo menos 200 anos. Desde então esse número só cresce e de acordo com os últimos boletins de decaimento, a expectativa de vida de Vanguard 1 já ultrapassa 2 mil anos.

Sofrendo muito pouco a influência da atmosfera, o Vanguard perde pouca altitude ao longo dos anos. Isso permite que se mantenha em órbita por muito tempo, fazendo com que as futuras gerações lembrem sempre dos primeiros anos da era espacial.

FONTE: SITE APOLO11

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…