Pular para o conteúdo principal

Sons ouvidos pela tripulação da Apollo 10 na Lua têm explicação simples


A Apollo 10 fotografada a partir do módulo lunar, quando ambas as naves se encontravam em órbita da Lua

Conspiracionistas e mistificadores insistem em requentar história desvendada já nos anos 70

A série Arquivos Inexplicados da NASA apresentou nos Estados Unidos, no último final de semana, um episódio tratando de misteriosos sons que a tripulação da nave Apollo 10 teria ouvido via rádio, enquanto estava em órbita da Lua. Com uma narração tensa e música de suspense, o narrador comenta como os astronautas estavam no lado oposto da Lua, sem qualquer comunicação com a Terra, quando ouviram um som assobiado ou chiado pelo rádio. Afirma-se que houve alarme entre os astronautas, e é apresentado o depoimento do astronauta Al Worden, que afirma acreditar que havia algo estranho ali.

Contudo, existe uma explicação simples para o fato, e de fato esta já é de domínio público desde os anos 70. O astronauta Michael Collins, da Apollo 11, foi alertado a respeito antes de sua missão, e publicou a informação em seu livro Carrying the Fire em 1974. Tratou-se somente de interferência entre os rádios VHF do módulo de comando e do módulo lunar da Apollo 10, e Collins ainda explica, depois de conferir as gravações, que se não tivesse sido alertado teria ficado com medo do que ouviu. Nas gravações, que podem ser conferidas nos links abaixo, Eugene Cernan, quem pilotava o módulo lunar, pergunta a John young, que comandava o módulo de comando, se estava ouvindo um som similar a um assobio. Cernan inclusive diz que parecia música, e soava como algo vindo do espaço.

John Young confirmou que ouvia, e ambos questionaram Tom Stafford, que acompanhava Cernan no módulo lunar, se também ouvia. Os três concordaram que era algo muito estranho, e Young completa: "Temos que descobrir o que é. Ninguém irá acreditar em nós". A Apollo 10 era a última missão de teste antes do histórico pouso lunar da Apollo 11, em julho de 1969, e foi lançada em maio de 1969. Os astronautas usaram o módulo lunar para chegar a menos de 16 quilômetros da superfície da Lua, em um ensaio do que ocorreria na missão seguinte. Pode-se conferir nos arquivos de aúdio que em nenhum momento, apesar das dúvidas levantadas pelo incidente, os astronautas de fato ficaram alarmados como o programa alega.

ARQUIVOS TORNADOS PÚBLICOS


O módulo lunar da Apollo 10, fotografado a partir do módulo de comando

As transcrições das transmissões da Apollo 10 foram liberadas ao público em 1982, e publicadas online em 2008, conforme aparecem nos links abaixo. Os arquivos de áudio foram igualmente disponibilizados online em 2012. O fato é que tudo ocorreu conforme o previsto na missão, incluindo os astronautas ficarem uma hora sem comunicação com a Terra enquanto estavam no outro lado da Lua, e o programa não explica por que isso seria significativo no alegado mistério. Os astronautas de fato não discutiram o assunto publicamente, e muitos especialistas concordam que não o fizeram por receio de mostrar não possuírem a solidez mental necessária para o complexo voo até a Lua, sendo assim dispensados das missões. E sem surpresas, com exceção do pouco substancial depoimento de Worden, o programa não apresenta qualquer evidência minimamente sólida para uma explicação diferente daquela já amplamente divulgada pela NASA.

Leia as transcrições das transmissões da missão Apollo 10


FONTE: REVISTA UFO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…