Pular para o conteúdo principal

Sons ouvidos pela tripulação da Apollo 10 na Lua têm explicação simples


A Apollo 10 fotografada a partir do módulo lunar, quando ambas as naves se encontravam em órbita da Lua

Conspiracionistas e mistificadores insistem em requentar história desvendada já nos anos 70

A série Arquivos Inexplicados da NASA apresentou nos Estados Unidos, no último final de semana, um episódio tratando de misteriosos sons que a tripulação da nave Apollo 10 teria ouvido via rádio, enquanto estava em órbita da Lua. Com uma narração tensa e música de suspense, o narrador comenta como os astronautas estavam no lado oposto da Lua, sem qualquer comunicação com a Terra, quando ouviram um som assobiado ou chiado pelo rádio. Afirma-se que houve alarme entre os astronautas, e é apresentado o depoimento do astronauta Al Worden, que afirma acreditar que havia algo estranho ali.

Contudo, existe uma explicação simples para o fato, e de fato esta já é de domínio público desde os anos 70. O astronauta Michael Collins, da Apollo 11, foi alertado a respeito antes de sua missão, e publicou a informação em seu livro Carrying the Fire em 1974. Tratou-se somente de interferência entre os rádios VHF do módulo de comando e do módulo lunar da Apollo 10, e Collins ainda explica, depois de conferir as gravações, que se não tivesse sido alertado teria ficado com medo do que ouviu. Nas gravações, que podem ser conferidas nos links abaixo, Eugene Cernan, quem pilotava o módulo lunar, pergunta a John young, que comandava o módulo de comando, se estava ouvindo um som similar a um assobio. Cernan inclusive diz que parecia música, e soava como algo vindo do espaço.

John Young confirmou que ouvia, e ambos questionaram Tom Stafford, que acompanhava Cernan no módulo lunar, se também ouvia. Os três concordaram que era algo muito estranho, e Young completa: "Temos que descobrir o que é. Ninguém irá acreditar em nós". A Apollo 10 era a última missão de teste antes do histórico pouso lunar da Apollo 11, em julho de 1969, e foi lançada em maio de 1969. Os astronautas usaram o módulo lunar para chegar a menos de 16 quilômetros da superfície da Lua, em um ensaio do que ocorreria na missão seguinte. Pode-se conferir nos arquivos de aúdio que em nenhum momento, apesar das dúvidas levantadas pelo incidente, os astronautas de fato ficaram alarmados como o programa alega.

ARQUIVOS TORNADOS PÚBLICOS


O módulo lunar da Apollo 10, fotografado a partir do módulo de comando

As transcrições das transmissões da Apollo 10 foram liberadas ao público em 1982, e publicadas online em 2008, conforme aparecem nos links abaixo. Os arquivos de áudio foram igualmente disponibilizados online em 2012. O fato é que tudo ocorreu conforme o previsto na missão, incluindo os astronautas ficarem uma hora sem comunicação com a Terra enquanto estavam no outro lado da Lua, e o programa não explica por que isso seria significativo no alegado mistério. Os astronautas de fato não discutiram o assunto publicamente, e muitos especialistas concordam que não o fizeram por receio de mostrar não possuírem a solidez mental necessária para o complexo voo até a Lua, sendo assim dispensados das missões. E sem surpresas, com exceção do pouco substancial depoimento de Worden, o programa não apresenta qualquer evidência minimamente sólida para uma explicação diferente daquela já amplamente divulgada pela NASA.

Leia as transcrições das transmissões da missão Apollo 10


FONTE: REVISTA UFO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…