Pular para o conteúdo principal

A destruição iminente de Fobos


Fobos, a lua condenada, fotografada pela sonda Mars Reconnaissance Orbiter (Crédito: Nasa)

Um novo estudo mostra que a gravidade de Marte está destroçando uma de suas duas luas. Em mais alguns milhões de anos, ela será completamente destruída, e o planeta vermelho terá apenas um satélite natural, assim como a Terra.

POR SALVADOR NOGUEIRA
05/11/15 01:12

O trabalho, liderado por Terry Hurford, do Centro Goddard de Voo Espacial da Nasa, mostrou que uma série de ranhuras presentes na superfície de Fobos, a mais interna das duas luas marcianas, é produto de estresse gerado pelo efeito de maré do planeta sobre o pequeno satélite. Esse fenômeno, em mais alguns milhões de anos, irá despedaçá-lo por completo.

Diferentemente da Lua terrestre, os dois satélites naturais de Marte não são corpos celestes esféricos e grandes. São meramente pedregulhos espaciais, que mais lembram asteroides que qualquer outra coisa. Há até quem defenda que eles sejam de fato asteroides, que acabaram capturados pela gravidade de Marte e convertidos em luas. Mas também não se descarta a possibilidade de que Fobos e sua parceira Deimos tenham se formado ali mesmo, resultado de um impacto violento no planeta no passado remoto — mesmo mecanismo que teria dado origem à nossa Lua.

De todo modo, uma coisa que já sabíamos é que o tempo de Fobos no Sistema Solar já está no fim, em termos astronômicos. Ele orbita a apenas 6 mil km da superfície de Marte (um sexagésimo da distância Terra-Lua) e está se aproximando cada vez mais, quase dois centímetros por ano. Estima-se que, em 100 milhões de anos, Fobos, com seus cerca de 22 km de diâmetro, vá se despedaçar e então despencar sobre Marte.

O que ninguém ainda tinha noção é de que esse processo já começou. Conforme sua órbita vai decaindo, a força gravitacional imposta pelo planeta vermelho sofre variações que esticam e puxam o satélite natural. O resultado é, de início, as ranhuras observadas na superfície.

Foi o que demonstrou o novo trabalho, apresentado ontem em reunião da Sociedade Geológica da América. Ele construiu um modelo da estrutura interna de Fobos — que, ao que parece, é composto por um agregado de pedregulhos soltos, mantidos reunidos apenas pela força da gravidade, sobrepostos por uma camada de solo. O estudo mostrou que o estresse de maré causado por Marte produziria exatamente as mesmas ranhuras que são observadas em imagens obtidas por sondas.

Ou seja, a destruição da maior das luas de Marte já começou. Agora é correr para visitá-la antes que ela suma. Mas não se preocupe. Nos planos que a Nasa está desenvolvendo para missões tripuladas ao planeta vermelho, há uma grande chance de que isso aconteça. Antes de um pouso em Marte, que seria mais complicado, uma missão precursora poderia levar astronautas à superficie de uma das luas marcianas — possivelmente Fobos.

Deimos, menor, com seus 12 km, e mais afastado, a cerca de 20 mil km da superfície de Marte, está seguro para o que der e vier nos próximos bilhões de anos.

FONTE: http://mensageirosideral.blogfolha.uol.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…