Pular para o conteúdo principal

Pela primeira vez na história, astronautas comem alface cultivada no espaço



Como nos filmes de ficção científica, os membros da Expedition 44 na Estação Espacial Internacional (EEI) provaram pela primeira vez uma colheita cultivada em microgravidade. Hoje, cientistas colheram um lote de alface romana vermelha do sistema de plantio Veggie no laboratório orbital da EEI. Cosmicamente delicioso.



Este será provavelmente considerado o festival de colheita mais científico que a raça humana já viu. Os astronautas cuidadosamente limparam as verduras com lenços sanitizados com ácido cítrico antes de dividi-las cuidadosamente em dois. Uma metade do cultivo foi comida fresco, enquanto a outra será empacotada, congelada e enviada de volta à Terra para análise científica.

As sementes de alface foram plantadas em 8 de julho pelo astronauta Scott Kelly. Até o momento da colheita, elas terão gasto 33 dias dentro da Veg-01, um banco de luz que inclui luzes LED nas cores vermelha, verde e azul. As luzes LED vermelha e azul são as duas partes mais importantes do espectro da fotossíntese. A luz verde, por sua vez, é quase inútil, mas mesmo no espaço, a estética do alimento é importante. Para evitar a produção de plantas roxas espaciais, os engenheiros por trás da Veg-01 decidiram adicionar a luz verde à mistura.



Astronautas na Estação Espacial Internacional estão prontos para provar a colheita de alface romana vermelha cultivada no sistema de plantio Veggie. Imagem: NASA.

“As luzes azul e vermelha são o mínimo necessário para um crescimento bom das plantas”, diz Ray Wheeler, cientista-líder para as atividade de Suporte à Vida Avançada no programas de exploração e pesquisa tecnológica do Kennedy Space Center. “Elas são provavelmente as mais eficientes em termos de conversão de poder elétrico. O LED verde ajuda a melhorar a percepção visual humana das plantas, mas não libera tanta luz quando as azuis e as vermelhas”.

A alface colhida hoje não vai encher o estômago de ninguém. Mas o significado do evento vai muito além do que uma mera dose extra de vitamina A. O sucesso da Veg-01 é um passo para o sistema alimentício renovável que precisaremos quando embarcarmos em missões nas profundezas do espaço, ou quando construirmos bases humanas permanentes em Marte. Os jardins espaciais podem eventualmente integrar o controle ambiental de habitações, absorvendo o CO2e reciclando oxigênio e água.


Conceito de um futuro jardim espacial em Marte. Imagem: NASA

Além disso, psicologia comportamental já mostrou diversas vezes que coisas verdes deixam as pessoas mas felizes. E essa ajuda é sempre bem-vinda e bastante necessária quando o assunto é manter a sanidade de pessoas presas em tubos de metal no espaço.

“Quanto mais distantes e prolongadas são as estadias dos humanos fora da Terra, maior é a necessidade de poder cultivar plantas para alimentação, reciclagem da atmosfera e benefícios psicológicos”, diz Gioia Massa, da NASA. “Eu acho que o estes plantios se tornarão um importante conceito de qualquer cenário de exploração de longa duração”.

Entretanto, este não é a primeiro lote de alface cultivado no espaço: em maio deste ano, Steve Swanson, membro da Expedition 39, preparou e cuidou da primeira colheita. A horta em questão também levou 33 dias para crescer, mas todo o lote foi enviado diretamente para estudos na Terra. Pelo menos desta vez deixaram um pouco para os astronautas prepararem uma saladinha.



FONTE: http://gizmodo.uol.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…