Pular para o conteúdo principal

Gotas levitam sobre um colchão de luz azul


Os físicos ainda precisarão caracterizar melhor o plasma formado no espaço de levitação para conseguir tirar proveito dele. [Imagem: Cedric Poulain et al. - 10.1063/1.4926964]

Levitação e plasma

Físicos franceses descobriram uma nova maneira de levitar gotículas de alguns tipos de líquidos e, no processo, criar um plasma com uma quantidade mínima de energia.

Surpreendentemente, o processo também cria um pequeno show de luzes, com a gota faiscando enquanto flutua acima de um espaço que emite a suave luz azul do plasma.

O experimento demonstra uma maneira simples e barata de gerar um microplasma que pode ser movimentado à vontade, já que ele acompanha a gotícula em levitação.

Levitação elétrica

O efeito de levitação é semelhante ao Efeito de Leidenfrost, que ocorre quando gotas de água dançam ao serem lançadas sobre uma panela quente.

A diferença é que o vapor é criado por uma descarga elétrica em lugar do calor. Além disso, o gás que se forma no espaço entre a gota e a base se ioniza até formar um plasma azulado.

Cedric Poulain e seus colegas da Comissão Francesa de Energias Alternativas e Energia Atômica estavam tentando explorar justamente os limites da analogia entre o fenômeno de ebulição e o de eletrólise da água, que é a quebra da molécula de água em hidrogênio e oxigênio pela passagem de uma corrente elétrica.

A analogia é interessante porque a equipe estuda um evento chamado "crise de ebulição" nos geradores de vapor das usinas nucleares. Se o núcleo de um reator nuclear fica muito quente, bolhas na água de arrefecimento podem repentinamente coalescer para formar uma película de vapor que limita ainda mais a transferência de calor, levando a um perigoso aumento da temperatura do reator.


Esquema demonstrativo do experimento. [Imagem: Cedric Poulain et al. - 10.1063/1.4926964]

Almofada de vapor e plasma

No experimento, uma pequena gota de uma solução fraca de ácido clorídrico - que conduz eletricidade - foi colocada acima de uma placa de metal e energizada por meio de um eletrodo. Quando a gota tocou a placa, fechando o circuito elétrico, a eletricidade começou a fluir, e a água na solução de ácido clorídrico começou a decompor-se em hidrogênio e oxigênio.

Acima dos 50 volts, a parte inferior da gota começou a faiscar. Ela levitou, erguendo-se acima da superfície da placa, e o espaço foi preenchido pelo plasma, que emite um brilho azul.

A almofada gasosa que sustenta a gota é, em sua maior parte, água vaporizada pela energia da corrente elétrica. Mas 50 volts parecia ser uma tensão baixa demais para formar um plasma.

Ao analisar melhor o resultado inesperado, porém, a equipe constatou que o pequeno espaço entre a gota e a placa de metal dá origem a uma forte elevação do campo elétrico, suficiente para gerar um plasma denso com muito pouca energia.

Mas eles admitem que nem tudo está explicado, sobretudo porque o plasma formado parece ser uma sobreposição de dois tipos diferentes de plasma. Somente mais estudos permitirão entender melhor o fenômeno e a possibilidade de tirar proveito dele nos reatores nucleares ou em outras aplicações.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…