Pular para o conteúdo principal

Estudantes da comunidade Cidade de Deus controlarão missão a Marte


Veículo não-tripulado Mars Rover na superfície do Planeta Vermelho

Uma equipe de cientistas americanos lançou uma campanha no Kickstarter para financiar um programa educacional que beneficiará a comunidade Cidade de Deus, no Rio de Janeiro.

O programa se chama Mars Academy, e é um projeto educacional e um projeto de filme documentário. Quatro cientistas e um cineasta passarão duas semanas na comunidade trazendo a ciência da Nasa através de experimentos práticos e viagens de campo para a floresta tropical brasileira. A iniciativa beneficiará um grupo de crianças que de outra maneira nunca seria exposto a algo semelhante.

— Há uma estimativa de 11 milhões de habitantes morando em favelas no Brasil, e as perspectivas sombrias de futura mobilidade econômica têm como consequência um terrível desperdício de potencial humano — disse à “Wired” o astrofísico Wladimir Lyra, professor-assistente de astronomia na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Lyra, que cresceu no Rio e recebeu grande parte de sua formação científica no exterior, vê muitas falhas fundamentais no sistema educacional do Brasil — falhas que colocam empregos com altos salários fora do alcance de todos que não pertençam às famílias mais ricas.

— Temos um sistema em que praticamente as únicas crianças que têm a chance de chegar à faculdade são aquelas cujos pais podem pagar pelo ensino privado — explicou. — Quantos Newtons ou Mozarts nasceram nas favelas e nunca puderam desenvolver suas habilidades?

Dadas as condições e oportunidades cruelmente desiguais, Lyra está ansioso para ampliar o cenário educacional de crianças que vivem nas favelas e a Mars Academy pretende fazer exatamente isso.

A ideia é que a capacitação desses alunos graças a programa impulsione-os em uma busca contínua de novas perguntas e respostas perspicazes, plantando uma centelha de inspiração que vai atiçar as chamas da curiosidade dos alunos em direção a um futuro mais brilhante.

A Mars Academy avaliará a curto, médio e longo prazo a eficácia do currículo baseado na exploração, recolhendo dados sobre o quão bem um momento na vanguarda da exploração se traduzirá concretamente em lampejos inovadores na comunidade, em comparecimento mais assíduo dos alunos às aulas convencionais, e na melhoria das perspectivas econômicas.

— Se nós podemos inspirar as crianças da favela, e pudermos acender essa luz e fornecer as sementes que irão fazê-los perseguir a ciência como uma carreira e ir para a faculdade, então eles terão quebrado o ciclo — comentou Lyra. — Essas crianças se tornarão histórias de sucesso, seus pares verão que é possível alcançar uma mobilidade social através da educação e, em algum momento, poderemos virar a maré da realidade urbana no Rio.

COMO FUNCIONARÁ

Em meados de 2015, a equipe de cinco pessoas vai viajar para o Rio de Janeiro e trabalhar com professores locais na escola da Developing Minds Foundation na favela. A Fundação tem sido reconhecida pela eficácia de sua facilidade de base tecnológica, oferecendo aulas a mais de 700 alunos por ano.

Com este objetivo em mente, a turma será levada em viagens de campo para a floresta nas proximidades — uma rara oportunidade para os alunos, apesar de sua proximidade com esta maravilha natural — e da costa brasileira, onde será explorado o reino subaquático com um submersível OpenROV.

De volta à sala de aula e ao redor da favela, os alunos receberão o contexto de Marte e buscarão conexões entre a evolução do meio ambiente no planeta vermelho e a biologia das florestas tropicais do Brasil.

Armados com este conhecimento contextual e com sua própria curiosidade, os alunos vão passar os últimos dois dias desenvolvendo um objetivo experimental para a câmera HiRISE, da Nasa, que será enviado para o controle da missão no Laboratório de Propulsão a Jato em Pasadena, na Califórnia.

A HiRISE é um dos instrumentos científicos mais avançados e produtivos atualmente explorando o Sistema Solar: com a resolução espacial do diâmetro de um prato de comida, ela pode divisar estruturas geográficas em Marte, como antigos leitos de rios e lagos, campos de dunas, e até mesmo os veículos artificiais terrestres que trafegam na superfície do planeta.

Durante sua missão de 8 anos, a HiRISE tem produzido alguns dos mais belos e cientificamente valiosos dados já coletados a partir do Planeta Vermelho. No entanto, apenas uma pequena fração do planeta foi fotografada, e ainda há muito que descobrir.

Ao direcionar a câmera para uma região invisível de Marte, os alunos da Cidade de Deus farão uma contribuição real e duradoura para a exploração do espaço. Em seguida os alunos serão levados de volta para a escola, onde será mostrada a eles a imagem capturada, fazendo-os compreender o que realizaram ao expor um canto do universo nunca antes visto por olhos humanos.

FINANCIAMENTO E EQUIPE

A meta da campanha é levantar US$ 30 mil para apoiar a equipe local, a escola, os custos de materiais educacionais, arranjos logísticos para os estudantes durante a viagem dos americanos ao campo, as viagens da equipe, e os custos de produção cinematográfica. Com o financiamento integral, a equipe espera terminar o documentário até janeiro de 2016.

O projeto já tem 45 apoiadores, e já levantou US$ $4,281. O prazo para levantar o total esperado vai só até 6 de abril de 2015.

A equipe que participará do projeto contará com: a geoquímica Carolyn Crow, da Universidade da Califórnia em Los Angeles e fellow da NASA Earth and Space Sciences; o cientista planetário Paul Hayne, do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia; o cineasta Hank Leukart, baseado em Los Angeles, também produtor de televisão e escritor; o geobiologista Jeff Marlow, do California Institute of Technology, que é o idealizador do projeto; e a oceanógrafa Alexis Pasulka, do Instituto de Tecnologia da Califórnia.

Para contribuir financeiramente para a campanha do projeto no Kickstarter, acesse .

FONTE: O GLOBO



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…