Pular para o conteúdo principal

De estação astronômica em casa, mogiano faz 'foto animada' de Júpiter

Gif do trânsito das duas luas em Júpiter foi feito por mogiano com base em 110 mil fotos do planeta capturas a partir do céu de Mogi das Cruzes (Foto: Marco Mastria/ Arquivo Pessoal)
Gif do trânsito das duas luas em Júpiter foi feito por
mogiano com base em 110 mil fotos do planeta
feitas da estação astronômica de sua casa,
em Mogi. (Foto: Marco Mastria/ Arquivo Pessoal)

Foram necessárias 110 mil fotos do planeta para fazer GIF.
Apaixonado por astronomia, Marco Mastria montou espaço há dez anos.

Com uma câmera planetária, lentes fotográficas e um telescópio, o astrônomo amador e arquiteto de sistemas Marco Mastria, de Mogi das Cruzes (SP), fez um registro ‘animado’ do movimento das luas de Júpiter. O trabalho, feito da estação astronômica de sua casa, resultou em um vídeo com 110 mil fotos e em um GIF (Formato de Intercâmbio Gráfico – na tradução literal).
Para registrar o movimento de Júpiter foram efetuadas 15 capturas de aproximadamente 3 minutos cada (Assista abaixo). Estas capturas geraram um total de 16 GB de dados e mais de 110 mil fotos a serem processadas.
As imagens foram feitas no dia 17 de janeiro deste ano e divulgadas nesta semana. O trabalho durou madrugada adentro. “A primeira gravação começou às 2:32h da madrugada, e a última finalizou às 3:55h, totalizando aproximadamente 1h30 de capturas de imagens”, detalhou.​

Além dos equipamentos, o astrônomo usa um software que o ajuda a localizar a posição de estrelas e planetas. Depois, as imagens passam por um longo e trabalhoso processo de tratamento. “Depois de capturar mais de 110 mil fotos, movimentar mais de 200 GB de dados, e quase 20 horas de trabalho, desde a montagem e ajuste dos equipamentos até a geração final de uma foto e um filme time-lapse, temos o resultado”, diz.
O GIF mostra uma representação gráfica da localização das luas Io e Europa e suas sombras no disco de Júpiter. Segundo o astrônomo amador, que já fotografou nebulosas e galáxias, esta foi a primeira tentativa real do chamado imageamento de planetas. “Eu já fazia fotos do céu profundo, que são produzidas de forma diferente, com outros softwares e técnicas”, informou. O roteiro de produção planetária foi feito após pesquisas. “Só consegui após muita pesquisa, leitura, tentativa e erro”, disse o astrofotógrafo.


Marco Mastria, astrônomo amador, com um de seus telescópios em Mogi das Cruzes (Foto: Jamile Santana/G1)

úpiter
Segundo o astrônomo, Júpiter é o maior planeta do sistema Solar e não é composto, primariamente, de matéria sólida, por isso, é conhecido como "gigante gasoso". É possível vê-lo a olho nu. "Você vê, mas aparentemente, é uma estrela com todas as demais, só um pouco mais brilhante, principalmente nestes dias onde Jupiter encontra-se em oposição ao Sol", detalhou.


Foto de Júpiter, que a olho nu aparece apenas co-
mo um ponto luminoso, feita da janela de astrôno-
mo. (Foto: Marco Mastria/ Arquivo Pessoal)

Paixão pela astronomia
A estação de observação montada na casa do pesquisador funciona há quase dez anos. A cúpula chama atenção de longe. Dentro dela, no telhado, uma potente luneta é capaz de registrar fotografias e mapeia o que acontece no céu em um raio de até 400 quilômetros.
Apesar da mudança na percepção do céu, o pesquisador flagra, quase que diariamente, pelo menos dez meteoros cruzando a cidade. Os registros são feitos por duas câmeras instaladas no teto de casa, que também é equipado com um telescópio e um sistema de previsão meteorológica.
Marco Mastra é um dos integrantes da Rede Brasileira de Observadores de Meteoros (Bramon, na sigla em inglês).


Astrônomo amador mostra estação de observação que construiu em sua casa em Mogi das Cruzes (Foto: Jamile Santana/G1)

FONTE: http://g1.globo.com/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…