Pular para o conteúdo principal

Paredes têm ouvidos; e podem contar o que ouviram


Como as vibrações detectadas na superfície dos objetos estão diretamente relacionadas às ondas sonoras no ambiente, é possível reconstruir a informação de áudio original.[Imagem: Zhaoyang Wang et al. - 10.1117/1.OE.53.11.110502]

Recuperação do som ambiente

Parece que não são só as paredes que têm ouvidos: qualquer objeto no ambiente de fato ouve tudo o que se fala ao redor deles.

E, pior do que isso, eles também têm bocas, e podem contar aos outros o que você está falando.

Pesquisadores demonstraram uma técnica óptica simples por meio da qual "informações de áudio" - sons - podem ser extraídas a partir de gravações de vídeo feitas em um ambiente.

A técnica utiliza um processo de correspondência de imagens que se fundamenta na detecção das vibrações imperceptíveis que as ondas sonoras causam nos objetos. E apenas analisando as imagens de uma sala, a equipe conseguiu recuperar as palavras faladas no ambiente.

Em outras palavras, o som cria pequenas vibrações nos objetos e essas vibrações - mediante o uso de equipamentos adequados - podem ser captadas a partir de um vídeo feito do local.

Correlação de imagens

Zhaoyang Wang e seus colegas da Universidade Católica da América, nos Estados Unidos, afirmam que a técnica é particularmente eficiente se o vídeo for gravado em alta velocidade e se os objetos presentes no ambiente forem leves, finos e flexíveis, tais como pedaços de papel ou cortinas.

A equipe utilizou uma abordagem chamada de correlação de imagens - a comparação entre uma imagem determinada, um quadro de um filme, por exemplo, e uma imagem de referência - para elaborar um algoritmo que detecta os movimentos na superfície de cada objeto filmado com alta precisão e rapidez.

Como as vibrações detectadas na superfície dos objetos estão diretamente relacionadas às ondas sonoras no ambiente, é possível reconstruir a informação de áudio original.

Outras técnicas já haviam conseguido antes recuperar sons a partir de vibrações dos objetos em um ambiente - mas nenhuma com a simplicidade de um algoritmo de análise de imagens.

"No momento, estamos melhorando a técnica para aumentar sua precisão e sensibilidade, fazer as medições em tempo real e remover a interferência de outras fontes," disse Wang.

Paredes e sons

Dado que a luz pode viajar através do ar consideravelmente mais longe do que o som e pode passar através do vidro, a equipe antecipa que a técnica pode encontrar aplicações como a detecção passiva de conversas dentro de um edifício a partir de uma grande distância.

Para os mais preocupados com a privacidade, é bom saber que outras equipes já criaram ondas de som à prova de ouvidos indiscretos.

Já para os mais despreocupados, é bom saber que o inverso também é verdadeiro, e que é possível transformar paredes e objetos em alto-falantes para ouvir melhor suas músicas.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…