Pular para o conteúdo principal

Ondas íon-ciclotrônicas explicam terceiro anel de radiação da Terra


Agora se sabe que o Cinturão de Van Allen é formado por pelo menos três anéis de radiação, que respondem diretamente às influências das partículas emitidas pelo Sol.[Imagem: NASA/Goddard Space Flight Center]

Cinturão de Van Allen

Por mais de meio século, os cientistas acreditaram que a Terra possuía dois anéis de partículas carregadas, o chamado Cinturão de Van Allen.

No início deste ano, duas sondas lançadas pela NASA - as sondas Van Allen, que têm colaboração brasileira - descobriram o terceiro anel da formação.

Descoberto novo cinturão de radiação ao redor da Terra
Agora, a equipe da missão Van Allen acredita ter encontrado uma explicação para o quase inexplicável anel, formado por partículas tão rápidas que são conhecidas como ultra-relativísticas.

"Alguns dos elétrons alcançam energias tão gigantescas que eles são dirigidos por um conjunto inteiramente diferente de processos físicos," diz a nota da NASA.

As energias envolvidas são tão altas que os elétrons atingem velocidades equivalentes a 99,9% da velocidade da luz.

As teorias sobre o plasma conhecido - o ambiente de partículas carregadas onde os anéis se formam - simplesmente não conseguem explicar como os elétrons podem ser acelerados a energias tão elevadas e, sobretudo, como eles duram tanto a ponto de formarem um anel.


As sondas gêmeas da missão Van Allen viajam constantemente através dos anéis de radiação. [Imagem: NASA]

Ondas íon-ciclotrônicas

Embora essas partículas relativísticas não sejam afetadas por ondas que se sabe atuarem nessa região, como as VLF Chorus (ondas de Frequência Muito Baixa Chorus), a explicação para o fenômeno parece estar em uma classe muito especial de um outro tipo de onda, chamada EMIC (ondas eletromagnéticas íon-ciclotrônicas).

Ondas íon-ciclotrônicas - ou instabilidades íon-ciclotrônicas - são associadas a íons que giram ao redor de um campo magnético - a frequência das ondas varia de acordo com a velocidade de giro desses íons.

Segundo os pesquisadores, ondas EMIC muito fortes podem afetar as partículas ultra-relativísticas - os elétrons movendo-se a 99,9% da velocidade da luz - fazendo-as perder energia e deixando apenas um estreito anel de radiação protegido no interior de uma fronteira conhecida como plasmapausa.

As previsões indicam que, se nada de "extraordinário" acontecer, os elétrons supervelozes podem durar até 100 dias.

Contudo, os anéis podem ser alterados por nuvens de radiação emitidas pelas tempestades e erupções solares - foi o que aconteceu rapidamente no evento que registrou a descoberta do terceiro anel.

Assim, compreender a natureza desses cinturões de radiação e como eles incham e encolhem ao longo do tempo é uma peça essencial no quebra-cabeças que é interpretar - e, quem sabe um dia, prever - o tempo espacial ao redor do nosso planeta.

O clima espacial pode, entre outras coisas, causar complicações em sistemas eletrônicos a bordo de satélites científicos, de comunicações e GPS.

Na verdade, estudos recentes mostram que o clima espacial, mais especificamente, os chamados raios cósmicos, estão intimamente ligados com a formação das nuvens na atmosfera terrestre.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…