Pular para o conteúdo principal

Os territórios batizados por Colombo e que mantiveram seus nomes até hoje


Cristovão Colombo batizou muitas ilhas e territórios - GETTY IMAGES

Analía Llorente
BBC News Mundo

Em 3 de agosto de 1492, com o aval dos reis católicos da Espanha, o explorador italiano Cristóvão Colombo partiu do porto de Palos de Moguer, no sul da Península Ibérica, rumo às Índias.

Ele e sua tripulação navegaram pelo Oceano Atlântico nas embarcações Santa Maria, Pinta e Niña por cerca de 70 dias até que, na noite de 11 e 12 de outubro, se depararam com uma ilha que acreditavam ser seu destino final.

"Eles chegaram a uma ilhota (...) chamada na língua dos índios de Guanahani", diz o livro "As quatro viagens e o testamento", de Cristovão Colombo, que compila as anotações dos diários do explorador.

Em seguida, essa ilha, habitada por indígenas taínos, foi chamada por Colombo de San Salvador.

Sabe-se que a localidade fazia parte do arquipélago das Antilhas. Atualmente, há um debate entre historiadores sobre se essa ilha seria San Salvador (Watling), nas Bahamas.


Mapa de 1507 é considerado certificado de nascimento da América, pois foi a primeira vez que essa palavra foi usada para denominar o continente - BIBLIOTECA DO CONGRESSO DOS EUA

Mas San Salvador foi apenas o primeiro de uma série de nomes com os quais Colombo batizou terras, rios, cabos, penínsulas e portos no novo território.

E muitos deles estão documentados em seus diários de viagem.

Mas quais são eles?

Trabalho difícil

Pegar um mapa e traçar a rota que Colombo fez não é uma tarefa fácil.

Ainda mais complexo é tentar combinar as centenas de territórios e acidentes geográficos que Colombo batizou e que ainda mantêm seu nome de batismo.


A primeira ilha que Colombo pisou no "Novo Mundo" seria nas Bahamas GETTY IMAGES

Historiadores consultados pela BBC News Mundo, o serviço de notícias em espanhol da BBC, dizem se tratar de um trabalho que ninguém fez.

"Encontrar os nomes que ele deu não é muito complicado, mas saber se eles ainda estão em uso é mais difícil", explica à BBC News Mundo o historiador luso-americano Manuel Rosa.

Confira abaixo, em ordem alfabética, a lista dos países no continente americano que foram batizados por Colombo há mais de 500 anos.

1. Antigua e Barbuda


bb.undp.org

Esta pequena nação é composta por Antigua e Barbuda, que são as duas maiores e mais importantes ilhas do arquipélago, além de ilhotas, incluindo a desabitada Redonda.

Antigua foi visitada por Cristóvão Colombo em 1493 , durante sua segunda viagem ao "Novo Mundo".

Ele a batizou em homenagem à igreja de Santa María de la Antigua, em Sevilha, na Espanha, de acordo com o "Dicionário Conciso de Nomes de Lugares do Mundo", da editora britânica Oxford.

Então, em 1632, Antígua foi colonizada pelos ingleses e o mesmo aconteceu com Barbuda, em 1678. Esta última tornou-se dependente de Antígua no século 18.

Nos dois séculos seguintes, as ilhas permaneceram sobre domínio britânico até que, em 1981, Antígua e Barbuda declararam sua independência.

2. Costa Rica


Costa Rica é chamada assim porque Colombo pensou que estava cheia de ouro - GETTY IMAGES

Cristóvão Colombo deu nome a esse país em 1502, durante sua quarta viagem.

"Possivelmente por causa da crença (errada) de que encontraria ouro lá, já que nativos usavam ornamentos desse metal precioso. O que ele não sabia era que o ouro era importado", diz o livro da editora Oxford.

No entanto, a costa era rica em madeira, frutas e água.

O nome Costa Rica foi oficializado em 1539 e, no ano seguinte, embora ali não houvesse assentamentos espanhóis até 1561, começou a fazer parte do vice-reinado da Nova Espanha.

Em 1568, a região foi absorvida pelo novo reinado da Guatemala, até declarar independência em 1821 e ingressar no Império Mexicano.

Dois anos depois, foi um dos membros fundadores das Províncias Unidas da América Central.

A Costa Rica é uma república independente desde 1848. E, curiosamente, sua moeda é chamada de colón (colombo, em espanhol).

3. Cuba


Cuba não foi o primeiro nome dado por Colombo, mas prevaleceu sobre os demais - GETTY IMAGES

O nome de Cuba é um caso muito especial entre todos os nomes atribuídos por Cristóvão Colombo.

E é talvez um dos que ele mais menciona em seus diários de viagem. Aparece cerca de 19 vezes durante a primeira viagem, de acordo com o livro "As quatro viagens e o testamento".

"O que aconteceu com o nome Cuba é algo engraçado, porque ele a chama de Juana e os nativos a chamam de 'Colba' e, na próxima vez em que ele menciona o nome da ilha, ele passa a chamá-la de Cuba", explica Rosa, autor de vários livros sobre a vida de Cristóvão Colombo.

Em 23 de outubro de 1942, Colombo escreveu: "Gostaria de partir hoje para a ilha de Cuba, que acredito ser Cipango, de acordo com os sinais dados por essas pessoas sobre sua grandeza e riqueza".

Cipango é o nome pelo qual europeus e chineses chamavam o Japão. Portanto, é provável que Colombo tenha pensado que Cuba era o Japão, como ele mesmo expressa em seu diário.

Apenas em 5 de dezembro daquele ano, Colombo chama Cuba de Juana. A partir de então, faz essa correlação várias vezes no diário, como se as duas palavras fossem sinônimas.

Outro fato marcante é que "o único lugar que se chamava Cuba naquela época se localizava em Portugal", acrescenta Rosa, destacando a suposta conexão entre o explorador e o reino de Portugal.

4. Dominica


Dominica se chama assim porque Colombo chegou ali num domingo - GETTY IMAGES

O país caribenho foi visitado por Cristóvão Colombo em 3 de novembro de 1493, um domingo.

Por isso, o explorador o batizou em homenagem ao dia de Deus, no Latin Dies Dominica ou domingo.

Os nativos o chamavam de Waitukubuli, que significava "alto como seu corpo", em referência à cordilheira que percorre a ilha de norte a sul, diz o livro da editora Oxford.

Dominica passou às mãos dos britânicos em 1783 e fez parte de várias federações coloniais durante os dois séculos seguintes.

Tornou-se um Estado Associado do Reino Unido com um governo autogerenciado em 1967, antes de se tornar uma república independente em 3 de novembro de 1978, coincidindo com o 485º aniversário da chegada de Colombo à ilha.

5. Jamaica


Jamaica foi visitada por Colombo em 1494 - GETTY IMAGES

A Jamaica foi visitada por Colombo em 1494.

Embora o explorador não lhe tenha dado esse nome, sempre se referia à localidade dessa maneira.

Colombo menciona "Jamaica" seis vezes em sua quarta viagem.

O nome original dado pelos aborígines aruaques à ilha é Xaymaca ou Yamaya, que significa "terra de madeira e água".

Mais tarde, em seu testamento, Colombo a chamou de Santiago : "Descobri muitas ilhas (...), entre as quais a Jamaica, que chamamos de Santiago". Mas claramente esse nome não perdurou.

A ilha ficou sob posse espanhola até 1655, quando foi conquistada pelos britânicos.

A Jamaica é um estado independente desde 1962.

6. Hispaniola


Hispaniola é a ilha compartilhada pela República Dominicana e pelo Haiti - GETTY IMAGES

Hispaniola é a ilha compartilhada pela República Dominicana e pelo Haiti.

E foi o primeiro assentamento espanhol no "Novo Mundo".

Os nativos chamavam a ilha de Bohio, Baneque ou bareque antes de Colombo chegar em 1492 e batizá-la de Hispaniola.

Durante a presença espanhola, às vezes foi chamada de Santo Domingo (atual nome da capital da República Dominicana).

7. Santa Lúcia


Santa Lúcia se chama assim porque Colombo a teria visitado pela 1ª vez no dia de Santa Lúcia - GETTY IMAGES

Acredita-se que a ilha tenha sido visitada por Colombo pela primeira vez em 1502, possivelmente em 13 de dezembro, dia de Santa Lúcia.

Trocou de mãos entre franceses e ingleses várias vezes durante o século 17, mas mas foi cedida ao Reino Unido em 1814 e tornou-se uma das Ilhas de Barlavento em 1871.

Santa Lúcia ganhou independência em 1979.

Seu nome original era Iouanalao, que significa "o lugar onde a iguana foi encontrada", de acordo com o livro da editora Oxford.

8. São Vicente e Granadinas


São Vicente faz alusão a mártir religioso enquanto Granadinas, à cidade espanhola - GETTY IMAGES

Colombo chegou à ilha de São Vicente em 22 de janeiro de 1498, no dia em homenagem a San Vicente de Zaragoza, um mártir que morreu torturado em 304.

O nome das Granadinas refere-se à cidade espanhola de Granada.

As ilhas de São Vicente e Granadinas passaram ao domínio britânico em 1763, embora os aborígines nativos tenham mantido o controle da ilha até 1796.

O nome original de São Vicente era Youlou ou Hairoun, que significa "Lar dos Abençoados".

São Vicente e Granadinas conquistou sua independência em 1979.

9. Trinidad (e Tobago)


Trinidad e Tobago está a 11 quilômetros da Venezuela - GETTY IMAGES

O arquipélago é composto por duas ilhas principais, Trinidad, que é a maior e a mais populosa, e Tobago, além de várias ilhas menores.

A República de Trinidad e Tobago era originalmente chamada de Leré pelos nativos caribenhos, o que significa "Terra dos beija-flores".

Cristóvão Colombo chegou à ilha em 1498 e deu o nome de Trinidad por causa dos três picos que cercam o sul da baía onde desembarcou. Para ele, representavam a Santíssima Trindade, explica o livro da editora Oxford.

Nos diários de suas quatro viagens, Colombo descreve repetidamente a beleza que encontrava enquanto percorria a região.

"As águas são sempre muito claras e o fundo é visível ... São ilhas muito verdes e férteis com ar muito doce, e pode haver muitas coisas que eu não sei ...".

"Acredito que exista o Paraíso Terrestre, aonde ninguém pode ir, exceto por vontade divina. E acredito que esta terra que Vossas Altezas mandaram descobrir agora é muito grande e há muitos outros no Austro de que nunca houve notícias", escreveu o explorador.

FONTE: BBC BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…