Pular para o conteúdo principal

Recorde de 50 km deixa criptografia quântica a um passo da prática


Um cristal não linear iluminado por um laser forte converte o comprimento de onda do fóton original para uma cor ideal para viagens de longa distância.
[Imagem: IQOQI Innsbruck/Harald Ritsch]

Criptografia quântica

O recorde de entrelaçamento quântico foi mais uma vez quebrado, e de uma forma que não deixa mais dúvidas de que agora apenas questões de engenharia e escalonamento nos separam de comunicações ultrasseguras, garantidas por criptografia quântica.

E, um pouco mais no futuro, de uma internet quântica.

Físicos da Universidade de Innsbruck, na Áustria, bateram o recorde anterior, de 6 km, alcançando 50 km na transmissão de informações quânticas por uma rede de fibra óptica.

"Isso é duas ordens de magnitude mais distante do que era previamente possível e é uma distância prática para começar a construir redes quânticas intermunicipais," disse o pesquisador Ben Lanyon.

Transmissão de informações quânticas

Como a informação quântica não pode ser copiada, não é possível enviá-la pelas redes clássicas usadas hoje - é necessário usar partículas que obedecem às leis da mecânica quântica, que suportam, entre outros, o fenômeno do entrelaçamento, que estabelece que duas partículas ficarão inextricavelmente associadas, qualquer que seja a distância que as separe.

O experimento começa com um átomo de cálcio preso em uma armadilha de íons. Usando raios laser, os pesquisadores escrevem um estado quântico no íon e o energizam simultaneamente para que ele emita um fóton, no qual as informações quânticas são armazenadas. Como resultado, os estados quânticos do átomo e da partícula de luz ficam entrelaçados.

Mas o grande desafio é transmitir o fóton através de cabos de fibra óptica, porque ele tem um comprimento de onda de 854 nanômetros, sendo rapidamente absorvido pela fibra óptica, desaparecendo com a informação. A saída foi usar uma conversão ascendente de fótons, uma fusão de fótons, em que dois fótons verdes se unem para formar um fóton azul, sem perder seu estado quântico, que é o dado que está sendo transmitido. O fóton resultante tem 1.550 nanômetros, que é o comprimento de onda padrão das telecomunicações.

A equipe já está se preparando para a próxima largada, quando pretendem atingir 100 km de distância na transmissão quântica. Para isso, eles precisarão usar um repetidor quântico, o conhecido hub usados nas redes de computadores, que reforça o sinal de tempos em tempos para que ele chegue forte o suficiente ao seu destino.

Bibliografia:

Artigo: Light-matter entanglement over 50 km of optical fibre
Autores: V. Krutyanskiy, M. Meraner, J. Schupp, V. Krcmarsky, H. Hainzer, B. P. Lanyon
Revista: npj Quantum Information
Vol.: 5, Article number: 72
DOI: 10.1038/s41534-019-0186-3

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…