Pular para o conteúdo principal

Visão aproximada de rochas de asteroide Ryugu mostra familiaridade surpreendente com a Terra


Imagem de asteroide Ryugu tirada pela sonda MASCOT. Crédito: aumann et al (Science (2019)

Por Ryan F. Mandelbaum

Em 3 de outubro de 2018, a espaçonave Hayabusa2 enviou um módulo de aterrissagem em direção à superfície do asteroide Ryugu de uma altitude de 40 metros. O módulo de pouso, MASCOT, atingiu uma rocha, saltou para trás e tropicou por 17 metros pela superfície do asteroide antes de pousar de cabeça para baixo em um buraco.

Mas este não foi o fim para a MASCOT. A sonda foi capaz de virar-se e tirar algumas imagens incríveis das rochas no asteroide Ryugu, tanto durante a sua descida de 6 minutos como durante suas 17 horas na superfície até suas baterias morrerem. Os cientistas, então, decidiram liberar essas imagens, que poderiam ter implicações empolgantes. Chama a atenção que a superfície do asteroide se parece muito com os meteoritos encontrados na Terra, chamados de condritos carbonáceos.


Superfície do Ryugu e a sombra da MASCOT (no canto esquerdo inferior). Crédito: Jaumann et al (Science (2019)

“O que queremos dessas imagens é saber como as rochas e o material são distribuídos na superfície desse asteroide, qual é a história de intemperismo desses itens e o contexto geológico”, disse Ralf Jaumann, autor do estudo do Centro Aeroespacial Alemão, ao Gizmodo. “É a primeira informação sobre esse tipo de material em seu ambiente original”.

As imagens revelaram diferentes tipos de rochas na superfície do Ryugu, incluindo rochas esfareladas escuras e semelhantes à couve-flor e rochas mais brilhantes e suaves, todas entre alguns centímetros e dezenas de metros de diâmetro. No entanto, não havia poeira visível — isso sugere que deve haver algum processo de remoção de poeira, que está sendo perdida no espaço ou sugada de alguma forma pelo asteroide. Olhando mais de perto, essas rochas pareciam conter partes brilhantes, inclusões (materiais que se fixaram em um mineral durante sua formação) de algum material diferente, de acordo com o artigo publicado na revista Science.


Foto do asteroide Ryugu feita sobre sua superfície. Crédito: Jaumann et al (Science (2019)

Essas últimas inclusões são bem empolgantes, pois elas parecem azuladas e avermelhadas, disse Jaumann. Além disso, elas pareciam semelhantes às inclusões encontradas em condritos carbonosos encontrados na Terra. Isso é algo bem importante.

“Esta é a primeira vez que vimos uma pedra de algo que acaba passando pela atmosfera, algo que temos em museus e laboratórios em todo o mundo”, disse Kerri Donaldson Hanna, geóloga planetária e professora da University of Central Florida, que não estava envolvida no estudo, ao Gizmodo. Seria uma ligação direta entre rochas na Terra e rochas no espaço.


Foto do asteroide Ryugu feita sobre sua superfície. Crédito: Jaumann et al (Science (2019)

Existe, porém, um elemento de mistério. Neyda Abreu, professora de geociências e matemática na Penn State DuBois, afirmou ao Gizmodo que ainda não está claro qual dos vários tipos de condritos carbonosos do Ryugu se tornaria ao entrar na atmosfera da Terra. Ela espera ver mais dados em breve, como a real abundância de inclusões nessas rochas. Talvez Ryugu não corresponda exatamente a nenhum dos condritos carbonáceos de nossas coleções. “Ter algo que nunca vimos antes é sempre emocionante”, disse ela.

Há muito mais que fotos incríveis nessa missão. O objetivo final da missão japonesa Hayabusa2 é coletar material de Ryugu e trazê-lo de volta à Terra, onde os cientistas poderão estudar as peças de asteroides reais, quase inalteradas e bem de perto. E, com base em sua composição, Ryugu pode conter algumas das mais antigas matérias do sistema solar, desde os dias em que os planetas se formaram pela primeira vez.

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…