Pular para o conteúdo principal

Missão Artemis | Revelado traje espacial inovador para levar humanos à Lua


Foto: The Verge

Por Daniele Cavalcante

A humanidade voltará a pisar na Lua em 2024, através da Missão Artemis, da NASA, e dessa vez é para estabelecer presença constante no satélite natural da Terra. O prazo é curto e a agência espacial já divulgou uma estimativa de quanto isso vai custar - algo entre US$ 20 bi e US$ 30 bilhões. Porém, há um grande empecilho que pode atrapalhar os planos: ninguém tem ainda um traje espacial adequado para proteger os astronautas e, ao mesmo tempo, garantir mobilidade boa o suficiente para realizar as tarefas em um terreno com um sexto da gravidade terrestre.

O desafio não é simplório. Um traje espacial é praticamente uma mini-nave, só que flexível e com o formato de um corpo humano. Além de proteção e mobilidade, ele precisa garantir o suprimento de oxigênio, controlar a temperatura, fornecer meio de comunicação e ser resistente a todo tipo de contaminação e intempéries. Por exemplo, a poeira lunar é muito abrasiva e danificou muito os trajes do Projeto Apollo. Se quisermos permanecer mais tempo na Lua e realizar mais tarefas, será preciso algo muito mais resistente e adaptável.

Felizmente, uma empresa com décadas de experiência em criar trajes espaciais para a NASA parece ter uma solução em estágio bastante avançado de desenvolvimento. Melhor ainda, pode fornecê-la dentro do curto prazo da agência espacial. Estamos falando da Collins Aerospace, que revelou na semana passada um protótipo do sistema Next Generation Space Suit - o traje que pode ser usado para excursões do programa Artemis.

A apresentação do modelo foi realizada na quinta-feira (25), e impressiona bastante pela sua versatilidade e flexibilidade. Ele também demonstrou muita facilidade em andar ao redor do saguão do Rayburn House Office Building, em Washington, DC, além de subir e descer alguns degraus. Isso significa que o traje não é tão pesado - tem metade do peso daqueles usados na missão Apollo - e pode ajudar os astronautas a se locomoverem na Lua muito melhor que antes. Outra grande vantagem é que ele pode se adaptar uma ampla gama de tipos de corpos humanos, desde astronautas mais baixos até pessoas com mais de um metro e oitenta de altura.

Além disso, a Collins Aerospace afirma que o Next Generation Space Suit pode ser modificado para cada local no espaço. “Você pode trocar componentes no traje, como braços e pernas, para torná-lo mais móvel. E isso depende do destino”, disse Allen Flynt, vice-presidente e gerente geral de sistemas espaciais da empresa. Ou seja, é uma roupa modular, e você pode trocar partes dela se estiver, digamos, na Estação Espacial Internacional (ISS), onde as condições são bem diferentes da superfície lunar.

O sistema supostamente tem toda a mobilidade necessária para o ambiente da Lua, em uma estrutura relativamente leve. A caixa de controle no peito, que contém os componentes eletrônicos do traje, é muito menor do que nos modelos anteriores.


Foto: The Verge

Outra grande vantagem deste traje é que os seus usuários terão capacidade de girar no quadril, algo que os astronautas da Apollo não tinham. Essa limitação tornava difícil a tarefa de se levantarem quando caíam. "Você veria as tripulações [da Apollo] pulando e saltando na superfície da Lua, o que acarreta um risco significativo", disse Dan Burbank, pesquisador sênior da Collins Aerospace e astronauta aposentado da NASA. Por isso, uma melhor acomodação que permita um caminhar natural é uma questão “crítica", completa ele.

O custo do Next Generation Space Suit da Collins não foi divulgado, embora Flynt diga apenas que é um "preço muito competitivo". Até porque as coisas ainda não estão prontas. Por enquanto, a empresa está focada em demonstrar a tecnologia e precisará ainda de um desenvolvimento adicional para refinar algumas coisas, como o sistema de suporte de vida portátil, de acordo com Burbank. O plano é construir um sistema totalmente funcional nos próximos 12 a 18 meses.

FONTE: The Verge via canaltech.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…