Pular para o conteúdo principal

Gravidade artificial tenta migrar da ficção para a realidade


Os pesquisadores já usaram cadeiras, mas a cama giratória foi melhor em gerar os efeitos esperados.
[Imagem: Universidado do Colorado Boulder]

Gravidade por centrifugação

A equipe do professor Torin Clark, da Universidade do Colorado, nos EUA, está tentando trazer para a realidade o conceito de gravidade artificial.

Seus primeiros experimentos são bem simples, e ainda não lembram as naves futurísticas e seus domos rotativos, como vistos em 2001: Uma Odisseia no Espaço ou em Perdido em Marte - mas o princípio que ele está explorando é o mesmo.

Como fica muito caro construir uma roda gigante que possa ser usada para simular a antigravidade, Clark está se arranjando com uma maca giratória, na qual seus pés ficam apoiados em uma placa - a gravidade artificial é sentida conforme a maca gira, fazendo com que o voluntário sinta uma pressão dos pés sobre a placa.

Segundo Clark, a velocidade angular gerada pela centrífuga empurra seus pés em direção à base da plataforma - "quase como se eu estivesse sob meu próprio peso," garante.

Doença do movimento

Parece mesmo um tanto tosco, mas o pesquisador está interessado em resolver primeiro um dos mais sérios entraves a esse tipo de tecnologia: a chamada "doença do movimento", que muitos de nós já experimentou ao enfrentar alguns brinquedos em parques de diversões.

Basta que Clark e seus estudantes virem a cabeça para os lados enquanto giram para que eles comecem a sentir uma sensação conhecida como "ilusão de acoplamento cruzado" - uma perturbação no ouvido interno que faz com que você se sinta como se estivesse caindo.

É uma sensação tão estranha e desagradável que, por décadas, os engenheiros consideraram que ela é um impedimento para a gravidade artificial.

O que a equipe está tentando desvendar é se os astronautas não poderiam se acostumar ao giro, fazendo com que as náuseas finalmente desapareçam e eles possam desfrutar da gravidade artificial.


Projetos de módulos de teste da gravidade artificial para serem testados no espaço - ainda sem planos de construção e lançamento.
[Imagem: Engle et al./Boeing]

Gravidade artificial na realidade

Parece que a coisa pode dar certo. No final da 10ª sessão, os alunos estavam todos girando confortavelmente, sem sentir qualquer ilusão ou enjoo, a uma velocidade média de 17 rotações por minuto.

"Até onde podemos dizer, essencialmente qualquer pessoa pode se adaptar a esse estímulo," disse Clark.

Agora os testes já estão sendo feitos a 50 rotações por minuto, o que é muito mais rápido do que qualquer pesquisa anterior foi capaz de alcançar, mas os resultados desta nova etapa ainda não foram divulgados.

Mas a equipe também têm muitas outras perguntas para responder antes que você possa ver uma sala de gravidade artificial no topo da Estação Espacial Internacional: Por quanto tempo os efeitos do treinamento duram, por exemplo, e quanto de gravidade um astronauta precisaria para compensar a perda de músculos e ossos?

A pesquisadora Kathrine Bretl, no entanto, espera outros benefícios desta pesquisa: Que ela comece a convencer outros cientistas e engenheiros de que a gravidade artificial não é apenas para parques de diversões.

"O objetivo do nosso trabalho é tentar fazer com que mais pessoas pensem que talvez a gravidade artificial não seja tão louca. Talvez ela tenha um lugar fora da ficção científica," afirmou Bretl.

Bibliografia:

Artigo: Tolerable acclimation to the cross-coupled illusion through a 10-day, incremental, personalized protocol
Autores: Kathrine N. Bretl, Aaron T. McCusker, Sage O. Sherman, Thomas R.M itchell, Jordan B. Dixon, Torin K. Clark
Revista: Journal of Vestibular Research
DOI: 10.3233/VES-190656

Artigo: Artificial Gravity System Configurations Informed by Physiological Spin-Tolerance Research
Autores: Xavier Simón, James Engle, Torin K. Clark
Revista: Proceedings of th AIAA SPACE and Astronautics Forum and Exposition
DOI: 10.2514/6.2018-5358

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…