Pular para o conteúdo principal

Sonda japonesa Hayabusa2 coleta material que estava debaixo da superfície do asteroide Ryugu


Imagem marcante tirada apenas quatro segundos depois da aterrissagem, com detritos flutuantes claramente visíveis. Imagem: JAXA

Por George Dvorsky

A sonda japonesa Hayabusa2 pode ter se tornado a primeira da história a coletar material que estava debaixo da superfície de um asteroide — uma missão que poderia gerar novos insights importantes sobre os primeiros estágios do nosso sistema solar. A tentativa, por si só, é uma conquista empolgante, mas não saberemos com certeza se a sonda obteve sucesso até que ela retorne à Terra no ano que vem.

“A partir dos dados enviados da Hayabusa2, foi confirmado que a sequência de aterrissagem, incluindo a descarga de um projétil para coletar amostras, foi concluída com sucesso”, anunciou a Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial (JAXA) em um comunicado divulgado.

A sonda realizou seu breve pouso às 10h06 da manhã da quinta-feira (11) no Japão e está funcionando normalmente, de acordo com a JAXA.



Esta é a segunda vez que a Hayabusa2 visita a superfície do Ryugu, um asteroide de 870 metros de largura localizado a 300 milhões de quilômetros da Terra. A primeira aterrissagem aconteceu em fevereiro passado, durante o qual a sonda disparou um projétil sobre a superfície de Ryugu, levantando material da superfície para coletá-lo.

Esta segunda visita é notável pois a Hayabusa2 tentou coletar material da subsuperfície, o que nunca havia sido feito antes. Em abril, a sonda disparou uma bala de cobre chamada “impactor” na superfície de Ryugu. Ela produziu uma cratera artificial cercada por material subterrâneo.

Esse material é precioso para os cientistas, pois está protegida dos efeitos do clima espacial, incluindo os efeitos dos raios cósmicos e das partículas carregadas que saem do sol. Estas amostras podem lançar uma nova luz sobre as origens do sistema solar e como ele era há bilhões de anos.


O exato momento em que a Hayabusa2 tocou o Ryugu. Imagem: JAXA

Esta segunda operação para visitar a superfície do asteroide começou em 9 de julho. A lenta jornada da Hayabusa2 até a superfície só se iniciou mesmo em 10 de julho. Ao alcançar uma distância de 30 metros, a sonda localizou um marcador que ela havia depositado anteriormente e ajustou adequadamente sua trajetória de modo autônomo. A sonda fez um breve pouso em um local chamado de região C01-Cb, que fica a cerca de 20 metros da cratera artificial.

O contato durou apenas alguns segundos, durante os quais a sonda disparou um pequeno projétil sobre a superfície. Isso produziu um campo de detritos flutuantes que caíram em seu tubo de coleta — pelo menos, é o que a gente espera que tenha acontecido. A Hayabusa2, então, voltou a uma distância segura, onde continuará a monitorar o asteroide e o local de amostragem.

Essa missão era potencialmente arriscada, já que a Hayabusa2 já havia tentado coletar amostras de superfície, e a falha nesse caso poderia ter desativado a espaçonave, impedindo que ela trouxesse sua valiosa carga de volta à Terra. Felizmente, esse não parece ser o caso — os controladores de missão disseram que o pouso foi “perfeito“.

“Foi um sucesso, um grande sucesso”, disse Takashi Kubota, membro da equipe Hayabusa2, em uma coletiva de imprensa realizada hoje, conforme relatado pela New Scientist. “Obtivemos sucesso em todos os procedimentos agendados.”

Esta missão foi a última grande operação a ser realizada pela Hayabusa2, tirando, é claro, sua jornada de volta à Terra. A sonda deve retornar no final do ano que vem com suas amostras.

Curiosamente, a AFP relata que as caixas de amostra serão depositadas na atmosfera da Terra para reentrada, mas a sonda em si permanecerá no espaço. Consequentemente, a JAXA está considerando uma missão estendida, na qual a Hayabusa2 poderia ser enviada para visitar outro asteroide.

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…