Pular para o conteúdo principal

A surpreendente identidade das aves gigantes desenhadas no chão em Nazca, no Peru


Este desenho havia sido classificado genericamente como 'beija-flor', mas representa uma espécie de colibri chamado eremita, que vive nas florestas das encostas dos Andes

Elas são tão grandes que sua beleza só pode ser apreciada do ar.

As enigmáticas linhas e geoglifos de Nazca, a cerca de 400 quilômetros de Lima, no Peru, foram entalhadas no chão há cerca de dois mil anos por sociedades pré-incas.

Os desenhos, que podem medir mais de 250 metros, foram feitos entre 400 a.C. e 1000 d.C., através da remoção de pedras da superfície marrom-avermelhada do deserto Nazca, expondo o subsolo cinza amarelo.

As figuras estão localizadas em uma área de aproximadamente 450 quilômetros quadrados - e muitas são representações geométricas de animais e plantas.

Um novo estudo conduzido por cientistas japoneses desvendou um dos vários mistérios que cercam as figuras: a identidade de algumas das aves gigantes.

Detalhes anatômicos

Os pesquisadores usaram uma abordagem ornitológica (ramo da biologia que estuda os pássaros) para analisar os desenhos.


Os cientistas japoneses usaram uma abordagem ornitológica: esta ave, por exemplo, tem um bico longo e fino, patas curtas com três dedos e uma parte da cauda alongada


O desenho da imagem anterior corresponde a um colibri eremita, segundo os pesquisadores japoneses. Nesta foto, vemos um balança-rabo-de-bico-torto (Glaucis hirsutus)

"Até agora, as aves dos geoglifos haviam sido identificadas com base em impressões gerais ou em algumas características morfológicas", afirma Masaki Eda, pesquisador do Museu da Universidade de Hokkaido, no Japão.

"Mas analisamos em detalhes as formas e tamanhos relativos aos bicos, cabeças, pescoços, corpos, asas, rabos e patas. E comparamos esses dados com os de aves modernas no Peru."

Takeshi Yamasaki, do Instituto de Ornitologia Yamashina, e Masato Sakai, da Universidade Yamagata, também participaram do estudo.

Os cientistas analisaram com base no enfoque ornitológico 16 dos mais de 2 mil desenhos presentes em Nazca.


As linhas e geoglifos de Nazca estão localizadas a cerca de 400 km de Lima e foram declaradas Patrimônio da Humanidade

E a análise ornitológica revelou que as hipóteses anteriores sobre a identidade das aves estavam erradas.


As aves registradas em muitos desenhos ainda não foram identificadas

Eda e seus colegas reclassificaram como um colibri-eremita um pássaro que até então havia sido identificado genericamente como beija-flor.

E duas figuras que haviam sido catalogadas como uma ave-guanera e um pássaro não identificado são, em ambos os casos, pelicanos, de acordo com o estudo publicado na revista científica Journal of Archaeological Science: Reports.

Segundo os pesquisadores, outros desenhos que podem ser de condores ou flamingos não apresentam características ornitológicas suficientes para validar essa identificação e são muito diferentes das aves modernas.

Aves exóticas

A identificação das aves gera novos enigmas.

Embora as espécies desenhadas existam no Peru, elas só são encontradas em regiões distantes de Nazca.


Os habitantes de Nazca desenharam aves exóticas, como pelicanos, que podem ter conhecido ao procurar alimentos na costa

Os colibris-eremitas, por exemplo, são uma espécie de beija-flor que vive em florestas nas encostas orientais da Cordilheira dos Andes e no norte, próximo ao Equador.

Os pelicanos, por sua vez, vivem ao longo da costa.

"Os habitantes de Nazca poderiam ter visto pelicanos enquanto procuravam comida na costa", supõe Eda.

"Nossa pesquisa mostra que os autores desses geoglifos desenharam pássaros exóticos, e não aves locais".


O estudo é um pequeno passo, mas o grande enigma permanece. Como esses desenhos foram feitos há mais de 2 mil anos?

"E talvez isso seja uma pista para entender no futuro por que eles fizeram esses desenhos."

Até hoje, o significado das linhas de Nazca, consideradas Patrimônio Mundial da Humanidade, é desconhecido.

Alguns pesquisadores consideram que se trata de um calendário. Outros alegam que era um observatório astronômico. Já os mais ousados afirmam que as linhas eram formas de comunicação com extraterrestres.

Os cientistas esperam identificar mais espécies usando restos mortais de pássaros escavados em Nazca e desenhos em cerâmica do mesmo período.

FONTE: BBC BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…