Pular para o conteúdo principal

Temos uma má notícia para quem torcia para o Proxima b ser um planeta habitável


Temos más notícias para aqueles que pretendiam fugir desse planeta para um bem longe daqui. De acordo com uma nova pesquisa da NASA, os planetas na zona habitável dos sistemas de estrelas anãs vermelhas — incluindo o tão propagandeado exoplaneta Proxima B — possivelmente perdem oxigênio demais para possibilitar a água no estado líquido e, portanto, a vida.

Tradicionalmente, cientistas já tentaram determinar zonas habitáveis baseados na quantidade de calor e luz que sua estrela anfitriã emana. Mas essa nova pesquisa leva em conta erupções estelares e a taxa de perda de oxigênio atmosférico para construir um panorama mais refinado de onde podem estar planetas similares à Terra em um sistema de estrelas.

A equipe desenvolveu um modelo para investigar como os raios X de alta energia e as emissões ultravioleta expelidas por anãs vermelhas faziam o oxigênio de atmosferas de planetas de zonas habitáveis escapar para o espaço. Essa “erosão atmosférica” pode trazer más notícias para os fãs do Proxima b, exoplaneta localizado no sistema de estrelas anãs vermelhas Proxima Centauri, a menos de cinco anos luz de distância. As novas descobertas dos pesquisadores foram publicadas em 6 de fevereiro, no Astrophysical Journal Letters.

“Quanto mais raio X e energia ultravioleta extrema, mais elétrons são gerados e mais forte o efeito de escape de íons se torna”, disse Alex Glocer, astrofísico do laboratório Goddard, da NASA, e coautor do estudo, em comunicado à imprensa. “Esse efeito é muito sensível à quantidade de energia que a estrela emite, o que significa que deve ter um papel forte em determinar o que é ou não é um planeta habitável.”

A equipe calculou a taxa de oxigênio atmosférico perdido ao considerar a idade da estrela anã vermelha e sua distância do planeta em questão. O Proxima b, por exemplo, orbita sua estrela 20 vezes mais próximo do que a Terra orbita o Sol. Por sua órbita apertada em torno da Proxima Centauri, os pesquisadores estimaram que o planeta é atingido por tempestades estelares de “descascar” a atmosfera a cada duas horas. Baseado em suposições sobre o tamanho e a composição do Proxima b, seu oxigênio terá desaparecido em cerca de dez milhões de anos.

Resumindo, as coisas não parecem boa para a vida no Proxima b — ou outros planetas ao redor das estrelas anãs vermelhas, que são as estrelas mais encontradas na galáxias. Entre 20 a 30 das estrelas mais próximas de nosso sistema solar são anãs vermelhas.

Talvez essa pesquisa simplesmente confirme o quão especiais nós somos.

“Neste estudo, os resultados são pessimistas para os planetas em volta das jovens anãs vermelhas, mas também temos um entendimento melhor de quais estrelas têm boas perspectivas de habitabilidade”, disse Vladimir Airapetian, autor principal do estudo. “Conforme aprendemos mais sobre do que precisamos de uma estrela anfitriã, parece que, cada vezmais, nosso Sol é uma dessas estrelas perfeitas, para que tenha possibilitado a vida na Terra.”

Para aqueles que ainda querem acreditar (*levantando a mão*), ainda há esperança. Afinal, esse é apenas um estudo de modelagem — em alguns anos, enfim teremos nossos primeiros dados concretos sobre a atmosfera do Proxima b, por meio dos estudos do telescópio James Webb e outros. E talvez, um dia, a nave interestelar de Stephen Hawking e daquele bilionário russo nos surpreenda com a confirmação de que o Proxima b é tranquilo. Cruzemos os dedos.



[The Astrophysical Journal Letters]

Imagem do topo: NASA Goddard/Conceptual Image Lab

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…