Pular para o conteúdo principal

Derretimento de gelo vai liberar lixo tóxico de uma área de testes da Guerra Fria



Durante a Guerra Fria, o exército dos EUA estudou a viabilidade de lançar mísseis balísticos de dentro da camada de gelo na Groenlândia. Quando o projeto estava pronto, os engenheiros enterraram lixo biológico, químico e radioativo no gelo pensando que ele seria preservado para a eternidade. Eles não contavam com o aquecimento global.

Chamada de Camp Century, a unidade foi construída por engenheiros do exército dos EUA em 1959, e considerada uma área secreta para ver se seria possível disparar mísseis do Ártico. Conhecida como “a cidade debaixo do gelo”, a base subterrânea foi construída a 220 km da costa da Groenlândia. Ela abrigava de 85 a 200 solados e cientistas, e contava até com um reator nuclear portátil.

Depois que o Camp Century foi desativado em 1969, o exército dos EUA deixou praticamente tudo para trás. Eles achavam, compreensivelmente, que o acúmulo de neve preservaria o Camp Century e seu conteúdo por séculos, ou até mais. Um novo estudo publicado na Geophysical Research Letters sugere que essa foi uma decisão imprudente, e que o lixo abandonado no local agora corre risco de poluir o ambiente. O motivo, não é preciso dizer, tem a ver com o aumento das temperaturas globais e o derretimento da camada de gelo da Groenlândia.

Para o estudo, uma equipe de pesquisadores liderada por William Colgan da Universidade York em Toronto, no Canadá, analisou o inventário de lixo deixado no local, e rodou algumas simulações climáticas para determinar se o lixo corria risco de ser exposto.


Plano de disposição do Camp Century. Via US Army Corps of Engineers.

Eles descobriram que o lixo no local cobre 55 hectares, mais ou menos o tamanho de 100 campos de futebol. Por lá ainda tem 200.000 litros de diesel, o suficiente para um carro cruzar o globo 80 vezes. Materiais de construção usados no local contêm bifenilas policloradas (PCBs), que são tóxicas para a saúde humana. O Camp Century também contém 2400.000 litros de água residual, o que inclui esgoto e uma quantidade desconhecida de fluido refrigerante radioativo de baixo nível do reator nuclear.

Projeções climáticas existentes sugerem que uma taxa de derretimento do gelo pode expor essas substâncias tóxicas dentro de 75 anos – mas pode acontecer antes disso. “Assim que o local transitar de mais neve para mais neve derretida, é questão de tempo até o lixo derreter; vai se tornar irreversível,” destacou Colgan em um comunicado. O cientista climático James White da Universidade do Colorado, nos EUA, que não esteve envolvido no estudo, disse: “essa coisa ia sair de qualquer jeito, mas a mudança climática pisou no acelerador e disse, ‘isso vai acontecer muito mais rápido do que vocês pensavam’ “.

Uma sonda de perfuração térmica usada para tirar amostras de gelo no Camp Century em 1964. Via US Army Corps of Engineers.

Os autores alertam que as toxinas representam uma ameaça ambiental “significativa”. Assim que o gelo derreter, os poluentes podem ser transportados para o oceano, onde provavelmente vão prejudicar ecossistemas marinhos sensíveis.

A questão agora é o que fazer em relação a isso. Os pesquisadores não estão defendendo uma limpeza no Camp Century, considerando que o lixo ainda está preso dentro do gelo. “É uma situação em que só podemos esperar pelo derretimento até um nível de quase exposição do lixo para poder defender a remediação no local”, disse Colgan.

Não está imediatamente claro quem vai ser responsável pela limpeza quando o lixo estiver exposto. Leis internacionais são vagas em relação a quem é culpado por lixo que foi descartado. Como explica a coautora Jessica Green, “o estudo identificou um grande buraco nas leis e regulamentações mundiais com o qual precisamos lidar para tratar dos problemas ambientais globais”.

[Geophysical Research Letters via Universidade do Colorado]

Foto de topo: Superfície do Camp Century em 1959. Via US Army Corps of Engineers.

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…