Pular para o conteúdo principal

Caso Allagash


Em agosto de 1976, quatro amigos, na época estudantes de artes, estavam acampados em uma região isolada, em Eagle Lake, próxima ao Rio St. Francis, em Allagash, Maine, Estados Unidos. A fazenda mais próxima situava-se a 70 milhas de distância (48 Km, aproximadamente). O grupo era composto por Chuck Ray (guia), os gêmeos Jim e Jack Weiner e Charles Folz. Na segunda noite de acampamento todos avistaram um estranho objeto luminoso que sobrevoou a região. Mesmo com o auxílio de binóculos eles não conseguiram identificar o estranho objeto. No anoitecer do quarto dia, 26 de agosto, eles acenderam uma fogueira às margens do rio, para iluminar o acampamento à noite. Quando anoiteceu eles pegaram uma canoa e foram ao meio do lago. Aproximadamente 20 minutos depois ocorreu um fenômeno luminoso acima do lago. Chuck, de imediato, pensou tratar-se de gás do pântano. A luz estava a aproximadamente 200 metros deles e se apresentava como uma faixa que subia e descia emitindo cores vermelha e azul, que pulsavam. Não havia ruído e aparentemente estava sobre algumas árvores na margem do lago.

Todos permaneceram observando o estranho objeto. Charlie Folz apontou sua lanterna, piscando várias vezes para o objeto, que em resposta projetou um facho de luz azul, primeiro nas águas do lago e depois diretamente no grupo. Todos entraram em pânico, com exceção de Charlie que queria se aproximar do objeto que começou a aproximar-se da canoa. Em desespero começaram a remar em direção à borda do lago. O objeto, logo atrás deles começou a produzir estranhos efeitos luminosos. então algo estranho aconteceu. A lembrança que todos tinham era de que remavam desesperadamente e em seguida Chuck sentado calmamente na canoa e os outros três parados em pé na margem. O estranho objeto estava posicionado logo acima deles e logo acelerou desaparecendo em seguida. Eles sentiam-se muito cansados, atordoados e não conseguiam se mexer. Assim que recuperaram os movimentos dirigiram-se para o acampamento onde encontraram a fogueira em brasas. Eles então foram dormir.

No dia seguinte não comentaram o estranho episódio. Eles só voltaram a tocar no assunto bem mais tarde quando encontraram um guarda florestal contando-lhe a experiência. Este comentou que a luz era possivelmente gerada por outros pescadores e em função disso não deram mais atenção ao caso.

Doze anos depois, Jim sofreu um acidente que lhe deixou com algumas sequelas. Ele passou a sofrer de epilepsia sofrendo ataques ocasionais. Em 1983, ele começou um tratamento visando reduzir estes ataques e elevar sua qualidade de vida. Algum tempo depois começou a ter pesadelos recorrentes em que era protagonista de um sequestro por parte de tripulantes de um disco voador. Estes sonhos eram cada vez mais perturbadores, e Jim resolveu contá-los ao médico que estava tratando sua epilepsia. Este recomendou que Jim procurasse um grupo ufólogos que estava promovendo uma reunião em Boston. Ele aceitou o conselho e foi até o local onde conheceu o ufólogo Raymond Fowler.

Fowler ficou muito interessado no relato de Jim referente ao episódio em Allagash e em outros episódios estranhos em que esteve envolvido. Em um deles, Jim foi surpreendido por uma nevasca e devido à falta de visibilidade acabou caindo em um buraco profundo onde ficou por aproximadamente 5 horas. Ali ele viu dois seres, de aspecto estranho, encapuzados que permaneceram observando-o. Jim não se lembrava de maiores detalhes, apenas de que quando foi encontrado estava completamente seco.


Além de Jim, os outros três protagonistas tiveram o mesmo tipo de sonho perturbador. Os detalhes eram incrivelmente semelhantes e remetiam aos acontecimentos da noite de 26 de agosto de 1976.

Fowler conseguiu encontrar os quatro protagonistas do caso e convidou-os à passar por sessões de hipnose regressiva com o objetivo de descobrir o que realmente aconteceu naquela estranha noite. Todos aceitaram o convite e as sessões tiveram início em janeiro de 1989.

A Hipnose

A hipnose foi realizada em todos e obteve total êxito. As informações recordadas são absolutamente complementares entre si, ou seja, o que um relatou foi relatado por outro com detalhes complementares entre si. Todos descreveram a experiência a partir do momento em que observaram a estranha luz, passando pelo desespero em fugir do local até o momento em que estavam chegando à beira do lago. Ali, o facho luminoso do objeto focou-se sobre eles paralisando o grupo. Este mesmo raio luminoso sugou-os para dentro do objeto. Segundo o relato de Rak, ao olhar para cima ele observou o estranho facho de luz que parecia um túnel para o qual ele era atraído. Ele ouvia os gritos de seus amigos ficarem cada vez mais fracas enquanto subia. Ao fim do túnel encontrou uma espécie de barreira por onde passou e logo percebeu-se em uma sala circular onde seus amigos chegaram pouco depois. Nesta sala surgiram seres humanoides, de baixa estatura, cabeça grande, desproporcional ao corpo, com grandes olhos negros. Suas mãos possuíam 4 dedos. Estes seres inicialmente transmitiram, mentalmente, mensagens dizendo para eles cooperarem e que não seriam machucados. Eles sentiram-se paralisados sendo então despidos e examinados de forma dolorosa. Os humanoides coletaram amostras de tecido e materiais biológicos, além de inseriram sondas em seus corpos. Todos foram submetidos à um aparelho que era colocado sobre seus corpos quando deitados em uma mesa. O exame era realizado em um abduzido de cada vez, sendo que os outros três aguardavam sentados em um banco preso à parede da sala onde se encontravam.

Ouro tipo de exame foi realizado através de uma espécie de braço móvel, semelhante ao encontrado em consultórios odontológicos. Chuck Rak descreveu-o assim: "Parece com o que os dentistas usam: tem uma ponta comprida e articulações, podendo se movimentar e dobrar".

Após o término dos exames eles foram vestidos. e levados à uma câmara circular de cujas paredes saíam tubos estreitos, de coloração azulada. Um dos tripulantes manipulou um aparelho, em seguida uma porta se abriu e uma luz intensa tomou conta do ambiente. Todos caminharam até a porta e flutuaram até o local onde lembram-se terem visto o objeto acelerar e desaparecer. Dois humanoides posicionaram Chuck sentado dentro do barco.

Após o evento de agosto de 1976, Jack Weiner tornou-se obcecado por matemática e física, disciplinas que antes não tinha o menor interesse. Seu lado artístico também sofreu uma mudança, pois sempre girava em torno de buracos escuros. Também logo após a experiência ele descobriu um caroço na sua perna, que logo foi removido cirurgicamente. O médico não soube dizer o que era aquilo, e enviou o material a para exame. Cinco meses depois o médico disse à Jack que não foi possível identificar a natureza exata da amostra. Oito anos depois ele solicitou o relatório. A única resposta que conseguiu foi: "Você deveria ter pegado isso enquanto estava no exército. Eles não enviaram para o CDC, mas para o laboratório do DOD". Jack não esteve nas forças armadas, no entanto o relatório estava assinado por alguém da Força Aérea Americana.










FONTE: http://www.fenomenum.com.br/
http://cortex-visualis.tumblr.com/
Programa Fenômeno Ufo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…