Pular para o conteúdo principal

Com que frequência a vida surge no universo?



Desde a década de 1960, a Equação de Drake é usada para tentar prever o número de civilizações alienígenas com transmissores de rádio na Via Láctea. Nessa mesma linha, uma nova fórmula busca estimar com que frequência a vida surge no cosmos — um cálculo que pode nos ajudar a descobrir qual é a probabilidade de termos companhia no universo.

A nova equação foi desenvolvida por Caleb Scharf, do Centro de Astrobiologia da Universidade Columbia, e por Leroy Cronin, da Escola de Química da Universidade de Glasgow. Ela é um início promissor para determinar as chances de vida fora do nosso planeta.

Os pesquisadores esperam que a fórmula, descrita na edição mais recente da revista Proceedings of the National Academy of Sciences, encoraje o estudo dos fatores que se relacionam com o surgimento da vida. Ou seja, eles querem que a equação seja usada para prever com que frequência acontece a abiogênese — o surgimento de vida a partir de matéria não-viva.

Equação de Drake
Em 1961, o astrônomo Frank Drake criou uma fórmula para estimar o número de transmissores de rádio alienígenas ativos na galáxia. A fórmula continha diversos valores desconhecidos, como a frequência média de surgimento de estrelas, o número médio de planetas que potencialmente abrigariam vida, a fração dos planetas que realmente desenvolveria vida inteligente, e por aí vai. Ainda não temos uma resposta para a Equação de Drake, mas estamos, aos poucos, preenchendo essas lacunas. O vídeo abaixo, em inglês, explica como ela funciona:



Nova fórmula
A nova equação, criada por Scharf e Cronin, funciona de forma semelhante à Equação de Drake, mas não é uma tentativa de substituí-la. A intenção é, na verdade, mergulhar no maior problema da abiogênese.

Essa é a fórmula:



Onde:

• Nabiogenesis (t) = Probabilidade da ocorrência de eventos que originam vida
• Nb = Número de elementos que potencialmente constituem vida
• No = Média de elementos constitutivos por organismo ou sistemas bioquímicos significantes
• fc = Disponibilidade fracionária de elementos constitutivos durante o tempo t
• Pa = A probabilidade de composição por unidade de tempo

Parece complicado, mas na verdade é uma fórmula simples. A equação basicamente diz que a probabilidade de a vida surgir em um planeta depende da quantidade de elementos químicos que possam sustentá-la – os chamados “elementos constitutivos”.

Por elementos constitutivos, os pesquisadores se referem aos químicos básicos necessários para o surgimento de vida. Podem ser pares de base de DNA/RNA ou aminoácidos. Pode ser também qualquer molécula ou material disponível no planeta capaz de gerar vida a partir de reações químicas.

Especificamente, a equação afirma que as chances de a vida surgir em um planeta depende do número de elementos constitutivos potencialmente existentes, o número de elementos constitutivos disponíveis, o número de elementos constitutivos necessários para produzir uma dada forma de vida, e a probabilidade deles realmente formarem vida.

Além de identificar os pré-requisitos químicos para a existência de vida, a equação busca determinar a frequência com que as moléculas reprodutivas emergem. Na Terra, a abiogênese foi caracterizada no momento que o RNA surgiu. Foi um passo crítico seguido pelo surgimento de vida unicelular com estrutura simples (procariontes), e depois de vida unicelular com estrutura complexa (eucariontes).

“Nossa abordagem relaciona a química nos planetas com as possibilidades de surgimento de vida — e isso é importante agora que estamos encontrando diversos sistemas solares com vários planetas”, disse Cronin ao Gizmodo. “Por exemplo, achamos que o fato de existir um planeta menor por perto — como Marte — foi importante para o surgimento de vida na Terra. Marte esfriou mais rápido do que o nosso planeta, gerando assim alguma reação química que se transportou, ajudando a dar o ‘pontapé inicial’ da química por aqui.”

De fato, a compreensão de que os planetas não podem ser estudados isoladamente é uma das maiores contribuições da pesquisa. Como notou Cronin, uma troca de materiais entre a Terra e Marte pode ter contribuído para o surgimento de vida por aqui. O estudo sugere que a transferência de elementos constitutivos entre planetas pode aumentar as chances do surgimento de vida.

Estamos mais perto de saber a quantidade de vida que existe no universo?
“Essa é uma pergunta difícil de responder” disse Cronin. “O que o nosso trabalho sugere é que os sistemas solares com mais de um planeta podem ser excelentes candidatos a estudos mais aprofundados — de fato, a mensagem final é para nos concentrarmos em sistemas com vários planetas e ver se algum deles parece ‘vivo’.” Cronin diz que deveríamos buscar por sinais de atmosferas em mudança, química complexa ou pelo menos indícios de complexidade e traços de variações climáticas que poderiam ser causadas por organismos biológicos.

Ainda não temos evidências empíricas o suficiente para completar a equação de Scharf e Cronin, mas isso pode mudar no futuro. Nas próximas décadas poderemos utilizar o Telescópio James Webb e o TESS para chegar a esses valores.

[Proceedings of the National Academy of Sciences]

Imagem do topo: arte conceito do Kepler-186f, um planeta parecido com a Terra que pode ter os ingredientes químicos necessários para a vida. (NASA Ames/SETI Institute/JPL-Caltech)

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…