Pular para o conteúdo principal

Marte foi mais parecido com a Terra do que cientistas pensavam



Novas descobertas da sonda Curiosity da NASA oferecem evidências de que quantidades significativas de oxigênio permearam a atmosfera de Marte no passado. O planeta vermelho, ao que parece, já foi bem mais parecido com a Terra do que cientistas imaginavam.

Usando o instrumento ChemCam no topo da Curiosity, cientistas do Laboratório Nacional Los Alamos, nos EUA, descobriram níveis altos de óxidos de manganês nas rochas marcianas. A sonda fez a descoberta em fendas cheias de minerais nos arenitos da região de Kimberley, na cratera Gale.

A presença desse elemento químico sugere que altos níveis de oxigênio de livre flutuação existiram no passado em Marte, e isso junto com o fato de ter um clima mais quente e lagos de água líquida, é mais uma evidência de que o planeta foi mais parecido com a Terra no passado em relação à sua composição química.


Sim, isso é manganês. Imagem: MSSS/JPL/NASA

“As únicas formas que conhecemos aqui na Terra de criar esses materiais de manganês envolvem oxigênio atmosférico ou micróbios,” disse a pesquisadora Nina Lanza, em um comunicado. “Agora estamos vendo óxidos de manganês em Marte e nos perguntando como diabos essas coisas se formaram por lá.”

É pouco provável que micróbios tenham sido os responsáveis pela produção do manganês marciano, mas a sugestão de que eles foram produzidos por oxigênio de livre flutuação é plausível. Os pesquisadores dizem que materiais ricos em manganês, como os encontrados no planeta vermelho, não são capazes de se formar sem quantidades grandes de água líquida e oxigênio.

Mas de onde veio todo esse oxigênio, e para onde ele foi? A equipe de Lanza tem uma hipótese de que o oxigênio estava na água do planeta e foi para a atmosfera conforme o campo magnético de Marte entrou em colapso. Sem o campo magnético para proteger a superfície da radiação ionizante, as moléculas de dentro da água se dividiram em hidrogênio e oxigênio. Devido à gravidade relativamente baixa de Marte, o planeta não conseguiu segurar os átomos de hidrogênio leves, mas os átomos pesados de oxigênio ficaram presos.

Com o tempo, esse oxigênio se prendeu a rochas, criando a poeira vermelha que agora cobre a superfície do planeta. Não é necessário muito oxigênio para criar óxidos de ferro vermelho, mas precisa de muito oxigênio para criar óxidos de manganês. Isso significa que Marte, por um tempo, foi um planeta rico em oxigênio.

Essa descoberta é empolgante. Marte pode ter sido habitável há bilhões de anos, e vida microbiótica básica pode ter existido por lá (ainda precisamos encontrar provas disso, mas continuamos nossa busca). O oxigênio, que é necessário para manter a maior parte da vida terrestre, é usado na respiração celular e em outros processos biológicos. Muitas classes importantes de moléculas orgânicas em organismos vivos contêm oxigênio, incluindo proteínas, ácidos nucleicos, carboidratos e gorduras. É possível que vida alienígena exótica possa ter emergido sem se beneficiar de oxigênio, mas aqui na Terra ele é fundamental para tudo.

A Curiosity não é a primeira sonda a encontrar manganês em Marte. A sonda Opportunity recentemente descobriu depósitos ricos em manganês em um local há milhares de quilômetros da Curiosity, então essa recente descoberta não é algo específico da cratera Gale. Mais adiante, os pesquisadores querem comparar o manganês produzido por micróbios para ver como eles diferem do produzido por oxigênio. Até que mais seja conhecido, nada deve ser descartado.

[Geophysical Research Letters]

Imagem de topo: impressão artística de como Marte parecia há bilhões de anos (Imagem: Ittiz)

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…