Pular para o conteúdo principal

Ligado instrumento que observará fronteira de buracos negros


Observações inicias do Gravity, ainda longe de sua potência total, já ajudaram a descobrir uma estrela dupla (Theta1 Orionis F) no Aglomerado do Trapézio, situado no coração da região de formação estelar de Órion.[Imagem: ESO/Gravity/NASA/ESA/M. McCaughrean]

Interferometria óptica

Observar o entorno dos buracos negros é o objetivo principal do instrumento Gravity, recentemente instalado no telescópio VLT do ESO, no Chile.

O instrumento combina a radiação capturada por vários telescópios para formar um telescópio virtual com um diâmetro que pode ir até aos 200 metros, utilizando uma técnica conhecida por interferometria, a qual permite aos astrônomos detectar muito mais detalhes nas imagens dos objetos astronômicos do que o que seria possível com um único telescópio.

Para comparação, pode-se dizer que o instrumento veria objetos do tamanho de edifícios na Lua e poderia localizá-los com uma precisão de alguns centímetros - ele mede as posições de objetos com escalas da ordem dos 10 microssegundos de arco e obtém imagens com uma resolução de 4 milissegundos de arco.

Borda dos buracos negros

Imagens com tão elevada resolução por si só já seriam de enorme interesse, mas o enfoque principal será o estudo do meio que rodeia os buracos negros.

O Gravity não consegue observar um buraco negro diretamente, é claro - isto é o Santo Graal de toda a comunidade astronômica - mas poderá observar o que acontece no campo gravitacional extremamente forte que existe próximo do horizonte de eventos do buraco negro supermassivo que se situa no centro da Via Láctea.

Foi a força descomunal da gravidade na região do horizonte de eventos que justificou o nome do instrumento. Trata-se de uma região onde tudo é relativístico, ou seja, qualquer explicação passa pela teoria da relatividade geral de Einstein.


Durante as primeiras observações, o Gravity combinou com sucesso a radiação estelar coletada por quatro telescópios auxiliares do VLT, de 1,8 metros - até o final do ano ele contará com quatro telescópios de 8 metros. [Imagem: ESO/Gravity]

Jatos de energia e exoplanetas

O instrumento observará ainda detalhes ligados à acreção de massa e a jatos de energia, processos que ocorrem tanto nas regiões que rodeiam os buracos negros supermassivos, situados nos centros das galáxias, como em torno de estrelas recém-nascidas (objetos estelares jovens).

Será também um excelente instrumento para observar os movimentos de estrelas binárias, exoplanetas e discos estelares jovens e fazer imagens da superfície das estrelas.

A capacidade total do Gravity deverá ser alcançada até o final do ano, quando ele passará a processar os dados dos quatro telescópios principais de 8 metros do VLT.

"Pela primeira vez na história da interferometria de linha de base longa da astronomia óptica, o Gravity fez exposições de vários minutos, ou seja, uma centena de vezes maiores do que o que era possível anteriormente," comentou Frank Eisenhauer, do Instituto Max Planck de Física Extraterrestre, na Alemanha, que coordenou a equipe internacional que construiu e está instalando o aparelho.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…