Pular para o conteúdo principal

Cientistas conseguiram medir a “força forte” da antimatéria pela primeira vez na história



Por: Jennifer Ouellette
10 de novembro de 2015 às 18:34

A força nuclear forte une os pequenos pedaços de matéria para formar átomos, e assim permite que nosso mundo material exista. Agora físicos do Laboratório Nacional Brookhaven, nos EUA, conseguiram pela primeira vez medir uma força parecida para a antimatéria – a imagem espalhada da matéria normal que permanece sendo um dos nossos maiores mistérios cosmológicos.

Os experimentos foram conduzidos pela Star Collaboration no Colisor Relativístico de Íons Pesados (RHIC, na sigla em inglês) em Brookhaven; os resultados foram divulgados na Nature. O RHIC recriou condições parecidas com aquelas do universo logo após o Big Bang ao acelerar átomos pesados (como ouro) a velocidades próximas à da luz, e então esmagou um nos outros. A bola de fogo resultante criou um plasma pegajoso de quarks e glúons – os blocos fundamentais de construção – bem como toneladas de partículas de matéria e antimatéria.

Essas partículas não ficam por aí muito tempo porque a matéria e a antimatéria são opostos polares: a antimatéria tem carga negativa para contra-atacar a carga positiva da matéria, e elas se transformam em energia quando entram em colisão. Devia haver a mesma quantidade de matéria e antimatéria no universo quando ele surgiu, mas, por alguma razão, a matéria ganhou um pouco de vantagem. E isso foi bom, já que de outra maneira o mundo material não existiria. Hoje em dia a matéria domina nosso universo, enquanto a antimatéria é extremamente rara.



Físicos adorariam estudar o que causou esse desequilíbrio. “É um grande mistério”, explicou o físico de Brookhaven Aihong Tang ao Gizmodo. “Tudo o que aprendermos sobre a natureza da antimatéria pode nos ajudar a solucionar esse enigma.”

Anteriormente, a Star Collaboration havia sido bem sucedida ao criar o maior núcleo de antimatéria da história: dois antiprótons e dois antinêutrons se juntaram para criar uma antipartícula alfa. Essa era uma clara evidência de que algo parecido com a força forte era aplicada à antimatéria.

Mas Tang e seus colegas físicos queriam ver essa força mais de perto. Eles realizaram milhões de colisões entre partículas de ouro para encontrar as que produziam pares de antiprótons suficientemente próximos para interagirem entre si. Eles usaram as análises estatísticas para determinar a força entre esses pares, assim como a distância na qual ela age.

E no fim das contas a força forte da antimatéria que criou aqueles núcleos de antimatéria parece muito com as forças fortes que juntam a matéria. A matéria e antimatéria ainda parecem ser perfeitamente simétricas. Então talvez não seja a força forte da antimatéria a culpada pelo desequilíbrio entre matéria e antimatéria nos primeiros momentos do nosso universo.

Essa é uma pequena contribuição para tentar solucionar a questão da matéria-antimatéria e vai ajudar na condução não só de testes mais precisos, mas também abordagens do problema a partir de novos ângulos. “Não esperávamos solucionar tudo”, disse Tang ao Gizmodo. Mas eles aprenderam algo valioso sobre a força forte da antimatéria. E, um dia, todo esse conhecimento acumulado deve finalmente chegar a uma conclusão sobre o caso.

FONTE: NATURE VIA GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…