Pular para o conteúdo principal

O abduzido do interior da Argentina que teve vários encontros com seres extraterrestres


Juan Oscar Pérez, protagonista de um dos mais importantes casos da Ufologia Argentina

Juan Oscar Pérez, trabalhador rural na província de Santa Fé, teve múltiplas abduções e contatos com extraterrestres, sendo protagonista de um dos mais importantes casos da Ufologia Argentina

Juan Oscar Pérez teve seu impressionante caso pesquisado pelo ufólogo e psiquiatra Nestor Berlanda, que também estará presente ao evento, e irá narrar em primeira mão a sucessão de abduções e contatos com extraterrestres que experimentou por toda a vida. As ocorrências tiveram início em 06 de setembro de 1978, quando tinha 12 anos. Juan saiu montado em seu cavalo, Cometa, à procura de um grupo de cavalos na estância onde sua família morava, a cerca de 6 km da cidade Venado Tuerto, sul da província de Santa Fé.

Subitamente surgiram luzes coloridas, que de acordo com a descrição de Pérez pareciam dançar em torno deles. O cavalo, Cometa, ficou arisco e disparou de volta à casa da fazenda, mas Juan o controlou. Surgiu Felipe Pérez, seu pai, que perguntou a respeito do bando de cavalos, e não deu atenção quando Juan falou das luzes, mandando-o voltar. O garoto cavalgou até uma lagoa, situada dentro da estância, e lá observou um objeto pousado. Vislumbrou o grupo de cavalos correndo assustados, mas dirigiu Cometa até lá. Pérez descreveu o objeto como tendo cerca de 12 metros de diâmetro, formato semi-esférico e janelas circulares ao redor. Subitamente o menino viu uma abertura se formar, semelhante a uma comporta que desliza para o lado, e uma escada se desdobrou e tocou o solo.

DOIS ESTRANHOS SERES

Na porta formada na cobertura do UFO Juan viu um ser alto, de cerca de 2,5 m de altura, usando uma vestimenta de cor cinza prateado e um capacete cilíndrico. Usava grandes luvas, seu dedo médio era o mais curto de todos, e da frente do capacete saía uma mangueira flexível que estava ligada a um ponto do interior do objeto. O ser emitiu sons ininteligíveis e com a mão fez um gesto, como se convidasse Juan para entrar. O menino amarrou as rédeas do cavalo a uma das pernas da escada e a subiu, parando em seu topo, ao lado do ser. Viu uma sala retangular, com uma mesa de controle à direita, cheia de botões, e outra parecida à esquerda. Ao lado desta última ele viu um ser pequeno, de 1,5 m de altura, corpo cilíndrico e pernas curtas terminadas em rodas. Seus braços terminavam em mãos na forma de instrumentos, similares a tesouras e pinças, e sua cabeça era cilíndrica.


Juan Oscar Pérez e o pesquisador Nestor Berlanda

O ser pequeno, que por vezes Juan descreve como robô, realizava o que parecia uma amostragem de ossos, colocados sobre a mesa, cortando-os e depositando pedaços em um recipiente. O menino quis tocar o ser grande, porém sentiu a presença do que descreveu como uma parede invisível. O ser alto em determinado momento pressionou os botôes e a escada começou a se recolher. Juan correu para desamarrar Cometa, que ficou muito agitado, no que foi ajudado pelo ser alto, que voltou a liberar a escada. A seguir o menino apontou para a luva do alienígena, que a entregou a ele, revelando uma mão de pele verde, com dedos terminados em garras cônicas. O ser espetou Juan no braço com uma dessas.


A cicatriz deixada pelo ser no braço de Juan

O menino montou em Cometa para voltar à estância, mas percorridos alguns metros viu que o UFO liberou dois objetos menores, que se uniram e passaram perto dele, atraindo por fim a luva que Juan havia prendido em sua sela. O UFO por fim desapareceu no céu com um zumbido penetrante, enquanto Pérez chegava em casa.

FONTE: REVISTA UFO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…