Pular para o conteúdo principal

Descoberta nova quasipartícula atuando nas células solares


O "polaron positivo" é uma quasipartícula composta pela carga positiva (lacuna) e pela sua interação com o seu ambiente. [Imagem: Patrick Rinke/Aalto University]

Polarons

Pesquisadores alemães e finlandeses desvendaram um passo importante na conversão da luz solar em energia armazenável.

Eles descobriram como se dá a formação dos chamados polarons em um material essencial para a geração de energia fotovoltaica - a conversão da luz em eletricidade.

Essas quasipartículas - ou pseudopartículas - viajam através do material fotoativo até serem convertidas em energia elétrica ou química em uma interface no interior do material.

A natureza vem usando esse processo há bilhões de anos, na fotossíntese, para formar carboidratos com a ajuda da luz solar.

As células solares, ou células fotovoltaicas, fazem algo parecido, mas de forma muito mais complicada e ainda longe de ser completamente compreendida.

Conversão fotovoltaica

"A conversão dos fótons, ou seja, das partículas de luz, em eletricidade, é feita em várias etapas," explica o professor Christof Woll, do Instituto de Tecnologia Karlsruhe e um dos membros da equipe.

Primeiro, a luz é absorvida pelo material fotoativo, com os fótons arrancando elétrons de suas posições na rede atômica, o que gera lacunas, as cargas positivas. Os pares elétron-lacuna são estáveis por apenas uma fração de segundo, podendo rapidamente decair, ou reemitindo outro fóton, ou se separando e se movendo pelo material de forma independente.

Como elas irão se comportar neste segundo caso é algo que depende do material fotovoltaico. Na maioria dos materiais, as lacunas livres não são estáveis, convertendo-se em um polaron, o que pode envolver perda de energia - não confundir os polarons com os polaritons ou com os plásmons.

O que parece mais estranho em relação ao polaron é que esta nova quasipartícula descrita agora é composta pela carga positiva e pela sua interação com o seu ambiente.

Esses polarons são estáveis por um tempo muito mais longo dos que as lacunas isoladamente, o que permite que eles viajem através do material fotoativo até que serem convertidos em energia elétrica ou não, ou seja, desempenhando um papel essencial para a eficiência da célula solar.

Polarons de cargas positivas

Usando uma técnica inédia, chamada IRRAS (sigla em inglês para espectroscopia de absorção por reflexão infravermelha), com uma resolução temporal de 100 milissegundos, a equipe rastreou as "impressões digitais" dos polarons associados com as cargas positivas.

Essas impressões digitais aparecem na forma de intensas bandas de absorção nos cristais de óxido de zinco.

Segundo os pesquisadores, os dados mostram de forma inequívoca que essas marcas são geradas pelos chamados "polarons de lacunas" - até agora, os polarons eram tipicamente associados com elétrons.

Compreendendo a participação de mais esse ator na conversão da energia solar em eletricidade torna-se possível projetar materiais fotovoltaicos mais eficientes ou até mesmo materiais que armazenem essa energia para uso posterior.

FONTE: http://www.inovacaotecnologica.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…