Pular para o conteúdo principal

Como a NASA planeja explorar Marte com o HoloLens, da Microsoft



Na demonstração da Microsoft do seu fascinante capacete holográfico, o HoloLens, a empresa mencionou brevemente uma das coisas mais legais que ele já faz: desenvolver software com o Laboratório de Propulsão a Jato (JPL, na sigla original) da NASA que permitirá aos cientistas explorar e trabalhar em Marte remotamente.

Na metade do vídeo promocional do HoloLens, a Microsoft mostrou um trecho de um cientista usando o capacete enquanto ele aponta para uma área de interesse na superfície do planeta vermelho. O HoloLens, explica o vídeo, será usado por cientistas da NASA para trabalhar “em” Marte a partir de julho deste ano. Intrigado pela breve menção, fomos atrás da NASA para pedir mais informações e em uma declaração acompanhada de um vídeo, a agência explicou o projeto.

Ao longo do último ano, o JPL e a Microsoft vêm trabalhando em um software chamado OnSight que foi projetado para permitir que os cientistas conduzam seus trabalhos mesmo estando aqui na Terra. Usando o HoloLens, claro.

Imagine ser capaz de colocar um capacete e andar por outro planeta. Ou controlar um módulo como se você estivesse sentado nele. Ou dar uma olhada da beirada de um precipício em um cânion marciano. Esses cenários são exatamente o que o OnSight faz usando dados e imagens extraídos de Marte.

De acordo com o JPL, é a coisa mais próxima de estar lá – recriar a experiência de que geólogos terrestres se beneficiam ao usar a realidade aumentada. Isso inclui não apenas a inspeção da paisagem, mas a comunicação com outros cientistas ao redor do mundo através de um local de reuniões virtual – sem falar em tomar notas e criar pontos de interesse que outras equipes podem explorar e comentar depois.



“Construindo ferramentas que fazem com que nos sintamos mais conectados àqueles robôs e ambientes que estamos explorando, podemos mudar nossa experiência de exploração de uma forma fundamental e empolgante,” disse Jeff Norris, gerente de projeto do OnSight, em um vídeo publicado no YouTube. “Não porque é um artifício e não por ser divertido, mas porque ele nos ajudará a chegar a conclusões científicas mais rapidamente e com mais confiança do que se confiarmos apenas em imagens numa tela, como fazemos hoje.”

Eles também conseguirão programar de verdade o módulo Curiosity através do ambiente do HoloLens, como explica o JPL em uma declaração:

Eles podem passear pela superfície rochosa ou se abaixarem para examinar conjuntos de pedras de diferentes ângulos. A ferramenta dá acesso a cientistas e engenheiros que queiram interagir com Marte de uma forma mais natural, mais humana.

A ferramenta OnSight também será útil para planejar as operações do módulo. Por exemplo, cientistas podem programar atividades para vários dos instrumentos do Curiosity olhando para um alvo e usando gestos para selecionar os comandos em um menu.

Nos últimos anos ouvimos algumas conversas sobre o envio de cientistas humanos para Marte. O HoloLens não oblitera os motivos que temos para visitar o planeta por nós mesmos, mas ele definitivamente expande as maneiras que temos de fazer isso. Na medida em que os veículos e módulos ficam mais complexos e sensíveis, pode ser que seja possível explorar planetas distantes usando proxies de realidade aumentada como esse – soluções muito mais duráveis na exploração do nosso cada vez maior espaço.



FONTE: http://gizmodo.uol.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…