Pular para o conteúdo principal

Cérebro Robô vai ensinar outros robôs pela internet


O sistema emprega o que os cientistas da computação chamam de "aprendizagem profunda estruturada", onde a informação é armazenada em vários níveis de abstração. [Imagem: Robo Brain/Divulgação]

Entendimento robótico

O projeto Cérebro Robô pretende criar um sistema computacional de grande escala capaz de aprender a partir dos recursos disponíveis na internet.

O programa está atualmente baixando e processando 1 bilhão de imagens, 120.000 vídeos do YouTube, 100 milhões de documentos do tipo "Como Fazer", além de manuais de eletrodomésticos.

A informação está sendo traduzida para um formato de fácil acesso para robôs de vários tipos, que poderão acessá-la quando precisarem.

"Nossos laptops e telefones celulares têm acesso a todas as informações que queremos. Se um robô encontrar uma situação que não tenha visto antes, ele então poderá consultar o Cérebro Robótico na nuvem," disse Ashutosh Saxena, da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos.

Saxena e seus colegas das universidade de Cornell, Stanford, Brown e Berkeley afirmam que o Cérebro Robô será capaz de processar imagens para identificar objetos e, associando imagens e vídeos com textos, ele vai aprender a reconhecer objetos e como eles são usados, juntamente com a linguagem e o comportamento humanos associados a cada situação.

O projeto tem semelhanças com a nuvem RoboEarth, do Instituto Federal de Tecnologia da Suíça, que está criando uma internet para robôs.

Mas o objetivo maior do Cérebro Robótico é que ele adquira "entendimento" das informações coletadas.

Aprendizagem profunda estruturada

Para servir como ajudantes em nossas casas, escritórios e fábricas, os robôs assistentes terão de entender como o mundo funciona e como os seres humanos ao seu redor se comportam.

Os pesquisadores em robótica vêm tentando ensinar-lhes uma coisa de cada vez: como abrir uma porta, como despejar bebida em um copo, como guardar a louça e quando não interromper duas pessoas em uma conversa.

A ideia do projeto Cérebro Robô é fazer tudo isso de uma vez só.


Há também projetos que fazem o contrário, tentando colocar cérebros artificiais nos robôs. [Imagem: Lovisa Irpa Helgadottir et al.]

O sistema emprega o que os cientistas da computação chamam de "aprendizagem profunda estruturada", onde a informação é armazenada em vários níveis de abstração.

Uma poltrona é um membro da classe das cadeiras, enquanto, em outro nível, as cadeiras são móveis. O Cérebro Robô já sabe que cadeiras são algo em que os humanos podem sentar-se, mas que um ser humano também pode se sentar em um banquinho ou no gramado.

Modelo de Markov

O cérebro computadorizado de um robô armazena o que ele aprendeu em um formato que os matemáticos chamam de modelo de Markov, que pode ser representado graficamente como um conjunto de pontos conectados por linhas (formalmente chamado de nós e arestas).

Os nós podem representar objetos, ações ou partes de uma imagem, e a cada um é atribuída uma probabilidade - o quanto você pode variar a informação e ela ainda se manter correta.

Na busca por conhecimento, o cérebro de um robô faz a sua própria cadeia de associações, e procura na base de conhecimento por informações que correspondam a esses limites.

Tal como um aluno humano, o Cérebro Robô terá professores, graças ao auxílio comunitário. O site irá mostrar as coisas que o cérebro aprendeu, e os visitantes poderão fazer acréscimos e correções.

O site, de caráter bastante técnico, pode ser visto no endereço http://robobrain.me.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Fazendeiro grego encontra túmulo de 3.400 anos debaixo de suas oliveiras

Por: George Dvorsky

Um túmulo de 3.400 anos contendo dois caixões e dúzias de artefatos que remontam ao fim da era Minoica estava escondido debaixo do olival de um fazendeiro grego, no sudeste da ilha de Creta, na Grécia.

Como noticiado pelo Cretapost, o homem, que não teve seu nome revelado, estava tentando estacionar seu veículo debaixo da sombra de uma oliveira quando o solo debaixo dele começou a afundar. Depois de se afastar, o fazendeiro notou que um buraco medindo cerca de 1,2 metro de largura apareceu de repente. Quando ele olhou para o vazio abaixo, rapidamente percebeu que havia se deparado com algo importante.


O buraco. Imagem: Eforato de Antiguidades de Lasithi

O fazendeiro contatou o Eforato de Antiguidades de Lassithi — ministério de patrimônio local —, que enviou arqueólogos para investigar. Descobriram então que o fazendeiro havia se deparado com um túmulo da era Minoica contendo um par de caixões, cada um deles com um só esqueleto. Duas dúzias de vasos com ornamentos…