Pular para o conteúdo principal

Descoberta estrela mais antiga que se conhece


A estrela mais antiga que se conhece lança dúvidas sobre a idade do Universo. [Imagem: Stefan Keller]

Estrela ancestral

Astrônomos australianos descobriram aquela que é a mais velha estrela que se conhece.

E ela não está nos confins do Universo, mas aqui nas vizinhanças, dentro da Via Láctea, a pouco mais de 6.000 anos-luz da Terra.

Sendo tão velha, ela se formou antes que própria Via Láctea, integrando-se à multidão de estrelas que formam nossa galáxia por algum processo de aglomeração posterior.

Stefan Keller e seus colegas da Universidade Nacional Australiana e de várias outras instituições calculam que essa estrela ancestral tenha 13,6 bilhões de anos de idade.

O "problema" é que o último cálculo sobre a idade do Universo estabelece que o Big Bang teria acontecido 13,82 bilhões de anos atrás.

E, para atender às teorias, nesses poucos mais de 200 milhões de anos tem que ter havido tempo suficiente para a criação e destruição das chamadas estrelas primordiais, gigantes azuis que explodiram rapidamente como supernovas, e que teriam sido responsáveis pela criação dos outros elementos da Tabela Periódica - o Big Bang só teria produzido hélio, hidrogênio e lítio.

Idade do ferro

Para calcular a idade da estrela-vovó - que atende pelo nome codificado de SMSS J031300.36-670839.3 - os astrônomos usaram a quantidade de ferro em sua composição.

"A luz das estrelas escapa das reações de fusão de hidrogênio que ocorrem no seu interior e, à medida que a luz passa através das camadas exteriores, os átomos dos elementos químicos presentes absorvem a luz em comprimentos de onda específicos," explica o Dr. Keller.

"O espectro da luz das estrelas traz impresso assim uma impressão digital química única, expressa em linhas de absorção que nos dizem quais elementos estão presentes nelas, e qual a sua abundância," conta ele.

No caso do Sol, há milhões de linhas de absorção, revelando a presença de todos os elementos e suas combinações.

A estrela recém-descoberta, porém, só mostra sinais de hidrogênio, carbono, magnésio e cálcio - virtualmente nenhum ferro, que deveria ter sido produzido conforme as reações de fusão da estrela vão produzindo elementos cada vez mais pesados.

"O teor de ferro do Universo aumenta com o tempo, conforme sucessivas gerações de estrelas se formam e morrem. [Assim,] podemos usar a abundância de ferro de uma estrela como um 'relógio' qualitativo que nos diz quando a estrela foi formada," explica Keller.

O cálculo resulta em 13,6 bilhões de anos.

Universo está escondendo a idade?

Por que essa estrela nunca foi destruída nas "sucessivas gerações de estrelas" é algo ainda a ser explicado.

O fato é que ela tem realmente algo de especial, uma vez que os astrônomos afirmam ter analisado - computacionalmente, é claro - nada menos do que 60 milhões de estrelas para encontrar somente essa com tais características.

Por sorte, devido à proximidade que a estrela está da Terra, será possível tirar a prova das teorias procurando por planetas ao seu redor - se ela for mesmo tão velha, e pertencente à segunda geração de estrelas do Universo, nada sólido deverá ser encontrado em sua órbita, já que o disco estelar original da qual ela se formou não tinha elementos pesados.

Outra hipótese é que o cálculo da idade da Universo talvez não esteja correto. Já se conhece pelo menos uma estrela cuja idade aparenta ser maior do que os 13,82 bilhões do Big Bang.

Mais recentemente, assim que foi inaugurado, o telescópio ALMA mostrou descobertas questionadoras sobre a linha do tempo da formação estelar estabelecida pela teoria padrão, mostrando que talvez o Universo possa estar escondendo sua idade verdadeira.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Fazendeiro grego encontra túmulo de 3.400 anos debaixo de suas oliveiras

Por: George Dvorsky

Um túmulo de 3.400 anos contendo dois caixões e dúzias de artefatos que remontam ao fim da era Minoica estava escondido debaixo do olival de um fazendeiro grego, no sudeste da ilha de Creta, na Grécia.

Como noticiado pelo Cretapost, o homem, que não teve seu nome revelado, estava tentando estacionar seu veículo debaixo da sombra de uma oliveira quando o solo debaixo dele começou a afundar. Depois de se afastar, o fazendeiro notou que um buraco medindo cerca de 1,2 metro de largura apareceu de repente. Quando ele olhou para o vazio abaixo, rapidamente percebeu que havia se deparado com algo importante.


O buraco. Imagem: Eforato de Antiguidades de Lasithi

O fazendeiro contatou o Eforato de Antiguidades de Lassithi — ministério de patrimônio local —, que enviou arqueólogos para investigar. Descobriram então que o fazendeiro havia se deparado com um túmulo da era Minoica contendo um par de caixões, cada um deles com um só esqueleto. Duas dúzias de vasos com ornamentos…