Pular para o conteúdo principal

Novas pesquisas sugerem que há um oceano abaixo do "coração" de Plutão


(FOTO: NASA)

Estudos mostram possibilidade da existência de um oceano abaixo da superfície que pode ter alterado o eixo do planeta anão

A viagem da sonda New Horizons, da NASA, até Plutão em julho de 2015 continua rendendo frutos. Dois estudos publicados no periódicoNature usaram dados coletados pela nave para apontar duas possibilidades: a de que existe um oceano abaixo da superfície do "coração gelado" do planeta anão, e que uma colisão ocorrida nessa região pode ter redefinido sua inclinação.

As pesquisas (que são complementares) têm como ponto de partida a rotação sincronizada entre Plutão e uma de suas luas, Caronte. A dupla possui uma órbita combinada de 6,4 dias, durante a qual o mesmo lado do planeta fica virado para o satélite e vice-versa.

Ao notar a Região de Tombaugh — nome oficial do "coração" do planeta —, os cientistas observaram que o lado esquerdo do local, chamado de Planície Sputnik, fica muito próximo à porção que fica de frente para Caronte. Já que a geografia de Plutão não é nada óbvia, as chances dessas informações serem mera coincidência são mínimas, logo, os cientistas decidiram investigá-las.


INCLINAÇÃO DE PLUTÃO (FOTO: NASA/JOHNS HOPKINS UNIVERSITY APPLIED PHYSICS LABORATORY/SOUTHWEST RESEARCH INSTITUTE.)

O primeiro estudo sugere que a Planície Sputnik é composta por uma grande quantidade de nitrogênio congelado, o que teria gerado massa o suficiente para inclinar o planeta anão. Já a segunda pesquisa afirma que nitrogênio congelado não seria o suficiente para realizar tal mudança, e que um oceano denso abaixo do local faria mais sentido.

A Planície Sputnik está próxima do eixo da rotação sincronizada, uma espécie de linha imaginária que conecta Plutão e Caronte. Essa linha define como o planeta anão se inclina caso sua massa mude, logo, se uma porção dele ficar mais pesada que o restante, o corpo se orienta de forma que o ponto mais pesado fique perto do eixo. Os estudos sugerem que a Planície Sputnik tenha feito justamente isso.

Os cientistas acreditam que a Planície Sputnik seja o resultado de uma grande colisão entre Plutão e um objeto não identificado do cinturão de Kuiper. O impacto teria sido forte o bastante para escavar bastante gelo da superfície do planeta anão, criando uma depressão. Nesse caso, o oceano existente abaixo teria reagido à colisão inundando a área até formar uma fina camada de gelo na superfície, aumentando a massa do local em relação do restante do planeta.


COMO A PLANÍCIE SPUTNIK FOI FORMADA (FOTO: REPRODUÇÃO/JAMES TUTTLE KEANE)

Segundo uma simulação realizada pela equipe responsável pelo segundo estudo, o oceano em questão tem pelo menos 100 quilômetros de profundidade, existe há bilhões de anos e é líquido graças à presença de grandes quantidades de amônia.

Será difícil confirmar as informações sem mandar outra sonda para o planeta anão, mas uma coisa é certa: o coração de Plutão guarda mais segredos do que se imagina.

(Com informações do The New York Times, Vox, Scientific American e The Verge.)

FONTE: REVISTA GALILEU

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…