Pular para o conteúdo principal

Imagens do polo Norte de Júpiter feitas pela Juno surpreendem cientistas da missão



POR SALVADOR NOGUEIRA

As primeiras imagens já obtidas do polo Norte de Júpiter causaram espanto aos cientistas envolvidos com a sonda Juno, da Nasa, que realizou sua primeira coleta de dados num voo rasante do planeta gigante no último dia 27.

“É o primeiro vislumbre do polo Norte de Júpiter, e ele não se parece com nada que já tenhamos visto ou imaginado antes”, disse Scott Bolton, cientista-chefe da missão, em nota divulgada nesta sexta-feira (2) pela Nasa. “É mais azulado lá em cima do que em outras partes do planeta, e há muitas tempestades. Não há sinais das faixas latitudinais ou zonas e cinturões com que estamos acostumados — essa imagem mal é reconhecível como Júpiter. Estamos vendo sinais de que as nuvens têm sombras, possivelmente indicando que as nuvens estão a uma altitude maior do que outros traços.”

Além de divulgar imagens processadas do polo Norte joviano, capturadas a 95 mil km de distância (acima) e a 78 mil km (abaixo), a Nasa apresentou dados colhidos pelo instrumento JIRAM (Mapeador Infravermelho de Auroras de Júpiter, na sigla em inglês), que revelou as poderosas auroras austrais (do polo Sul) joviano.

Detalhes do polo Norte joviano a 78 mil km de distância, fotografados pela Juno (Crédito: Nasa)

As visões dos polos são as que mais encantam os cientistas porque eles nunca foram vistos antes — da Terra é impossível vê-los, e nenhuma das sondas que já visitaram Júpiter se estabeleceram numa órbita polar (que sobrevoo regularmente essas regiões do planeta).


As auroras do polo Sul de Júpiter, fotografadas pela JIRAM, em infravermelho (Crédito: Nasa)

A antena da Juno também foi usada durante o sobrevoo para capturar as emissões de rádio do planeta gigante. Naturalmente, não são ETs tentando se comunicar — são emissões naturais emanada da atmosfera do planeta, associadas a atividades como as auroras. Convertidas em sons, elas nos permitem ouvir “o canto das auroras jovianas”. Ouça aí.




Por fim, o Mensageiro Sideral ficou fuçando por aí e encontrou no Photojournal do JPL a imagem mais próxima de Júpiter até agora divulgada: ela foi feita pela JunoCam (a câmera de “luz visível” da Juno) a uma distância de 38 mil km, e revela detalhes do polo Sul. Contudo, ela é em preto-e-branco e reflete apenas o filtro vermelho da câmera — ou seja, o que tem de vermelho na imagem. (Lembre-se de que a aproximação máxima ocorreu a apenas 4.200 km, então, o melhor ainda está por vir!)

Imagem colhida pela JunoCam do polo Sul de Júpiter, a uma distância de 38 mil km. (Crédito: Nasa)

A JunoCam capta imagens coloridas do mesmo modo que a maioria das nossas câmeras digitais — ela faz na realidade três fotos sequenciais, uma captando os azuis, outra, os verdes, e uma terceira, os vermelhos, e depois junta tudo para compor uma imagem colorida. O problema é que, viajando depressa pelo alvo como está a JunoCam, talvez não seja tão simples alinhar as três fotos para criar uma versão em cores das imagens de aproximação máxima.

Ainda não sabemos se será possível fazer esse processamento, mas não custa preparar o espírito e esperar que as imagens da aproximação máxima, embora incríveis, sejam apenas em PB. A missão da Juno inclui outros 35 voos rasantes como este e deve terminar em fevereiro de 2018, com um mergulho da nave na atmosfera do planeta.

FONTE: http://mensageirosideral.blogfolha.uol.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…