Pular para o conteúdo principal

Plutão continua a impressionar


A sonda capturou esta imagem de alta resolução de Plutão e a cores melhoradas no dia 14 de julho de 2015. Combina imagens azuis, vermelhas e infravermelhas obtidas pelo Ralph/MVIC (Multispectral Visual Imaging Camera). A imagem resolve detalhes e cores em escalas tão pequenas quanto 1,3 quilômetros.
Crédito: NASA/JHUAPL/SwRI

As mais recentes imagens de alta resolução de Plutão, obtidas pela sonda New Horizons da NASA, são deslumbrantes e aliciantes, revelando um grande número de detalhes topográficos inéditos.

A imagem seguinte - que mostra uma área perto da linha que separa o dia da noite - captura uma vasta paisagem ondulante de estranhas cristas lineares e alinhadas que deixou os membros da missão New Horizons de boca aberta.

"É uma paisagem única e perplexa que se estende por centenas de quilômetros," afirma William McKinnon, da equipe GGI (Geology, Geophysics and Imaging) da New Horizons e da Universidade de Washington em St. Louis, EUA. "Parecem mais cascas de árvore ou escamas de dragão do que geologia. Isto vai levar tempo a desvendar; talvez seja alguma combinação de forças tectônicas internas e sublimação de gelo impulsionada pela ténue luz solar."

A imagem "pele de cobra" da superfície de Plutão é apenas parte dos dados enviados pela New Horizons durante os últimos dias. A sonda também capturou a imagem de mais alta resolução, até agora, de Plutão, bem como mapas espectrais detalhadas e outras imagens de alta resolução.


Nesta fotografia a cores reforçadas, obtida pela New Horizons, conseguimos ver montanhas arredondadas e de textura bizarra, informalmente chamadas Tartarus Dorsa, que se levantam ao longo do terminador de Plutão e mostram padrões intricados de cumes azul-cinza e material avermelhado no meio. Com cerca de 530 km de largura, combina imagens azuis, vermelhas e infravermelhas registadas pelo Ralph/MVIC no dia 14 de julho e resolve detalhes tão pequenos quanto 1,3 km.
Crédito: NASA/JHUAPL/SwRI

A nova visão de Plutão a "cores estendidas" - obtida pelo instrumento Ralph/MVIC (Multispectral Visual Imaging Camera) no dia 14 de julho e enviada para a Terra no dia 19 de setembro - mostra a extraordinariamente rica paleta de cores de Plutão.

"Nós usámos o canal infravermelho do MVIC para alargar a nossa visão espectral de Plutão," afirma John Spencer, também do GGI e do SwRI (Southwest Research Institute) em Boulder, Colorado, EUA. "As cores da superfície de Plutão foram reforçadas nesta imagem a fim de revelar os detalhes subtis num arco-íris de azuis pálidos, amarelos, laranjas e vermelhos profundos. "Muitas formações geográficas têm as suas próprias cores distintas, contando uma história geológica e climatológica maravilhosamente complexa que apenas agora estamos a começar a descodificar."

Adicionalmente, também foi enviada dia 20 de setembro uma faixa da superfície de Plutão em alta resolução, capturada pelo LORRI (Long Range Reconnaissance Imager) no dia 14 de julho e que se foca nos detalhes da geologia de Plutão. Estas imagens - as de mais alta resolução disponível, até ao momento, de Plutão - revelam características parecidas com dunas, o litoral mais antigo de um lago de gelo glacial encolhido e montanhas angulares de água gelada com penhascos. Os detalhes da cor foram adicionados usando o mapa global do MVIC.


Imagens de alta resolução de Plutão capturadas pela sonda New Horizons da NASA, momentos antes da maior aproximação de dia 14 de julho de 2015. Revelam características tão pequenas quanto 250 metros, desde crateras, passando por cadeias montanhosas e pela superfície texturizada da vasta bacia informalmente chamada Sputnik Planum. As cores foram melhoradas para realçar diferenças subtis. A imagem mede cerca de 530 km de largura.
Crédito: NASA/JHUAPL/SwRI

Este olhar mais de perto à superfície brilhante e lisa da região informalmente chamada Sputnik Planum mostra que na verdade contém padrões densos de fendas, cumes baixos e terreno recortado. Dunas de partículas de gelo volátil e brilhante são uma possível explicação, dizem os cientistas da missão, mas os gelos de Sputnik podem ser especialmente suscetíveis à sublimação e à formação deste terreno enrugado.

Além das novas imagens, foi também obtido um mapa do metano gelado à superfície de Plutão, que revela contrastes marcantes e novas informações composicionais: Sputnik Planum tem metano abundante, enquanto a região informalmente chamada Cthulhu Regio não tem, a não ser nalguns cumes isolados e orlas de crateras. As montanhas ao longo do flanco oeste de Sputnik também não têm metano.

A distribuição do metano pela superfície não é nada simples. As maiores concentrações situam-se nas planícies brilhantes e nas bordas das crateras, e normalmente não existem nos centros das crateras ou nas regiões mais escuras. Fora de Sputnik Planum, o gelo de metano parece favorecer áreas mais claras, mas os cientistas não têm a certeza que tal é assim porque é mais provável o metano concentrar-se aí ou porque a sua condensação ilumina essas regiões.

"É como o clássico problema da galinha e do ovo," afirma Will Grundy, membro da equipa e também do Observatório Lowell em Flagstaff, no estado americano do Arizona. "Não temos a certeza porque é que isto acontece, mas o interessante é que a New Horizons tem a capacidade de fazer mapas composicionais requintados da superfície de Plutão, e isto será crucial para resolver o enigma de Plutão."

"Com estas novas imagens e mapas, virámos uma página no estudo de Plutão, começando a revelar o planeta em alta resolução, tanto em cores como em composição," afirma Alan Stern, investigador principal da New Horizons e também do SwRI. "Gostava que o descobridor de Plutão, Clyde Tombaugh, tivesse vivido para ver este dia."

FONTE: ASTRONOMIA ONLINE

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…