Pular para o conteúdo principal

Crueldade e covardia humana: Antes do homem ter coragem – e tecnologia –, foram enviados outros moradores do planeta Terra nas primeiras visitas ao espaço


Albert II foi o segundo macaco a viajar para o espaço, mas ele não sobreviveu a reentrada na atmosfera (Domínio Público)

O cosmonauta soviético Yuri Gagarin foi o primeiro homem a visitar o espaço, em 12 de abril de 1961, mas nem longe foi o primeiro habitante da Terra a entrar em órbita. Muito antes de existir a tecnologia – e uma boa dose de coragem – suficiente para enviar seres humanos para fora do planeta, outros moradores de nosso mundo foram os pioneiros das viagens espaciais.

Cachorros, macacos, sapos, ratos, gatos, tartarugas, peixes, insetos e até um porquinho da índia visitaram o espaço antes dos homens para entender como formas de vida terrestres reagiriam no então perigoso e desconhecido ambiente espacial.

Havia todo tipo de medo e até então nenhuma resposta para esses temores, como as reações que a falta de gravidade e a exposição a radiação solar poderiam causar as formas de vida do planeta Terra. Para descobrir esses efeitos, foram enviados ao espaço os “bichos astronautas”.

No entanto, diferente das missões tripuladas por homens que aconteceriam durante a corrida espacial entre Estados Unidos e União Soviética, que eram de ida e volta, muitos dos bichos enviados ao espaço não retornaram. Conheça a abaixo os casos de alguns dos mais célebres animais que entraram em órbita e também para história:

Moscas

O primeiro habitante da Terra que visitou o espaço, que diria, foi um mosquito, mais especificamente as “moscas de fruta”, também conhecidas como drosophila. No dia 20 de fevereiro de 1947, um foguete V-2 (que foi uma temível arma da Alemanha na II Guerra Mundial) decolou com uma capsula contento 100 moscas e atingiu 109 km de altura. O objetivo era observar os efeitos da radiação solar em órbita no corpo dos insetos. Após a rápida subida, a capsula com as moscas retornou ao planeta. Todas sobreviveram.

Macacos

Em 1948, os EUA iniciaram o “Programa Albert”, que foi responsável por enviar os primeiros mamíferos ao espaço, no caso macacos-rhesus. O primeiro macaco-astronauta, Albert I, foi lançado ao espaço em 11 de junho daquele ano, desta vez para um estudo mais amplo sobre os efeitos que uma viagem poderia causar a saúde dos bichos. O macaquinho, porém, morreu sufocado ainda durante o lançamento. Três dias depois foi a vez de Albert II, que sobreviveu a viagem orbital, mas também acabou morrendo no processo de reentrada na Terra.


O chipanzé-astronauta Ham foi um dos bichos que sobreviveu as primeiras viagens espaciais (Domínio Público)

Os testes com macacos, incluindo chipanzés, foram intensos até os a década 1960, tanto em missões americanas como soviéticas. Muitos morreram no processo, mas também houve caso em que os bichos sobreviveram, como o chipanzé Ham. Argentina e Irã também já enviaram primatas ao espaço.

Cachorros

Durante as décadas de 1950 e 1960, a antiga URSS enviou 57 cachorros para fora da Terra. Considerados bichos que resistem a grandes períodos de inatividade, o melhor amigo do homem decolou para o espaço pela primeira vez em 22 de julho de 1951. Foi um voo duplo, com os cães Tsygan e Dezik. O mais famoso cão-cosmonauta foi a cadela Laika (um husky siberiano), que foi o primeiro ser terrestre a entrar em órbita – os voos até então eram sub-orbitais. A capsula que levou a cadelinha para fora do planeta em 1957, contudo, não foi projetada para retornar e acabou incinerada no processo de reentrada na atmosfera.


A cadela Laika foi o primeiro ser terrestres a realizar um voo orbital. A viagem, porém, foi apenas de ida… (Domínio Público)

Gatos

Em 18 de outubro de 1963, a França enviou o primeiro felino ao espaço, o gato Felix – outras fontes afirmam que o gato era na verdade uma fêmea, Felicette. De qualquer forma, o animal foi o único de sua espécie, até hoje, enviado para um voo suborbital.


A gata Felicette (ou gato Felix) momentos antes de ser acomodada na capsula espacial (Domínio Público)

Félix vivia nas ruas de Paris até ser recrutado para a missão, que tinha como objetivo estudar os efeitos da microgravidade no cérebro. O bichano, que viajou com eletrodos na cabeça, foi recuperado com vida.

Aranha

Arabella e Anita foram as primeiras aranhas a visitar o espaço. Em 28 de julho de 1973, os dois aracnídeos foram lançados pela Nasa, a bordo do foguete Saturn V, com destino à estação espacial Skylab 3, onde permaneceram 59 dias. O objetivo da missão era observar se as aranhas seriam capazes de tecer uma teia no espaço, em um ambiente de microgravidade. E elas não decepcionaram e construíram uma grande teia.


A aranha “Arabella” em sua teia espacial no Skylab 3 (NASA)

Anita acabou morrendo na estação espacial, pouco antes de retornar à Terra, enquanto Arabella morreu na cápsula de regresso, durante a reentrada na atmosfera. Os corpos das aranhas-astronautas estão em exposição no Museu Smithsonian, em Washington.

Tartaruga

Os primeiros seres terrestres que chegaram próximos a Lua foram duas tartarugas. Em 1968, o programa especial da URSS enviou um nave ao espaço para contornar o satélite natural e em seguida retornaram a Terra em segurança. Em 1974, a experiência foi repetida. Nessa missão, os repteis ficaram em órbita por 90 dias, um recorde até então – para animais.

Sapos

Em 1970, a NASA enviou dois sapos-boi para uma viagem espacial de seis dias para analisar os efeitos da gravidade zero. Os anfíbios foram equipados com diversos eletrodos implantados cirurgicamente que enviavam em tempo real as reações no organismo dos bichos. A capsula que levou os sapos ao espaço possui ambiente climatizado e um alimentador eletrônico. Os animais retornaram ao planeta em segurança.


Os sapos-astronautas ficaram seis dias no espaço em uma espécie de estação espacial para anfíbios (NASA)

Porquinho da Índia

Em março de 1961, um porquinho da Índia foi lançado pela União Soviética ao espaço, junto com ratos, répteis e um cachorro. Os animais, porém, morreram durante a reentrada na atmosfera terrestre. Em 1990 foi a vez da China, que enviou os roedores junto com plantas. Na missão chinesa os bichinhos sobreviveram.

FONTE: http://airway.uol.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…