Pular para o conteúdo principal

Partículas sólidas caminham no interior de um metal


A descoberta esclarece o princípio de funcionamento dos memristores, que prometem viabilizar os computadores neuromórficos.[Imagem: Yuchao Yang et al. - 10.1038/ncomms5232]

Memresistência

Depois de décadas de busca, em 2008 pesquisadores finalmente comprovaram a existência do memristor, o quarto componente eletrônico fundamental.

O memristor era considerado o elo perdido da eletrônica porque é capaz de "lembrar seu passado", funcionando como uma memória não-volátil, lembrando da corrente que o atravessou antes.

Isso permite construir computadores que aprendem, imitando as redes neurais do cérebro humano, porque os memristores imitam muito bem as sinapses.

Mas, até agora, os cientistas não entendiam como é que emerge a memória dos memristores - um fenômeno que eles batizaram de memresistência, ou resistência com memória.

Sólido caminha no interior de sólido

Agora, Yuchao Yang e Wei Lu, da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, acreditam ter desvendado esse mistério - ainda que o "desvendamento" pareça mais misterioso do que o próprio mistério.

Para espanto geral, os pesquisadores verificaram que os átomos no interior do material sólido que forma o memristor se aglomeram como se fossem partículas, e então se movimentam como se estivessem soltas em um fluido viscoso.

Em outras palavras, "partículas" metálicas sólidas - são aglomerados de átomos do próprio material - caminham no interior de um material sólido.

"A maioria das pessoas acreditava que não era possível mover partículas de metal em um material sólido," comentou o professor Wei Lu, sem apontar quais pessoas acreditavam que isso seria possível. "Em um líquido ou gás, elas são móveis, e as pessoas entendem isso, mas em um sólido não esperamos esse comportamento. Esta é a primeira vez que isso foi demonstrado."


Átomos carregados unem-se para formar "nanopartículas" no interior do material sólido, e então movimentam-se no interior do metal como se ele fosse um fluido. [Imagem: Ilia Valov/Wei D. Lu/Nature Communications]

Ponte condutora

Usando um microscópio eletrônico de transmissão, Yuchao Yang gravou o que acontece com os átomos na camada metálica do memristor quando ele é exposto à corrente elétrica.

As imagens mostram que os átomos do metal tornam-se íons - átomos carregados eletricamente - que se aglomeram em conjuntos de milhares, formando verdadeiras nanopartículas no interior do metal.

E, em seguida, essas partículas movimentam-se, formando uma ponte entre os eletrodos em lados opostos do material dielétrico que compõe o memristor.

Dependendo dos materiais envolvidos e da corrente elétrica, a ponte se forma de maneiras diferentes - o grupo demonstrou o estranho processo com vários metais, incluindo prata e platina.

A ponte, chamada por eles de filamento condutor, permanece estendida depois que a energia elétrica é desligada. Então, quando a energia é religada, a ponte está lá como um caminho aberto para a corrente - é assim que o memristor se lembra da corrente anterior que o atravessou.

Circuitos reconfiguráveis

Fazendo mais testes, a equipe descobriu ainda que o campo elétrico pode ser utilizado para alterar a forma e o tamanho do filamento condutor, ou quebrá-lo inteiramente, o que permite controlar a memresistência com grande precisão.

Assim, segundo a equipe, além das já bem conhecidas promessas dos computadores neurais, esta possibilidade de controle abre caminho para usar os memristores para criar uma nova arquitetura onde os circuitos integrados podem ser reconfigurados depois de terem sido fabricados.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…